quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Grande Trail Serra D´arga, 21/22/ 9/2019

9º Grande Trail Serra D´arga

Vencida a distância (enorme) que dista Lisboa de Caminha a única coisa que nos preocupava no momento era o local para dormir e o mais rápido possível encontrar local para jantarmos ali por perto.
Como sempre e pela 7ª vez foi o Pavilhão Gimno-Desportivo de Caminha que nos serviu de tecto nas duas noites que ficámos pelo Minho, o Grande Trail Serra D´arga iria ocupar-nos nos dias 20/21/22 de Setembro envolvendo toda aquela Região através dos concelhos de Caminha, Viana do Castelo, Ponte de Lima e Vila Nova da Cerveira, principalmente as povoações de Dem e de S. Lourenço da Montaria.
O Vitor Pinto ia participar no Sábado dia 21 na prova dos 55 kms e eu e a filhota Susana Adelino iríamos participar no Domingo dia 22 na prova de 27kms.
A noite de Sexta Feira estava calma, céu limpo, temperatura amena e sem vento, tudo apontava para um dia (Sábado)  excelente para a prática de corridas em montanha, mas durante a manhã e o nascer do novo dia tudo se alterou, os primeiros pingos de chuva começam a cair ainda em Caminha, a 10 kms de distância, em Dem, local onde se iria iniciar o Ultra Trail de 55 kms já chovia com grande intensidade onde o vento e o nevoeiro já emparceirava provocando uma enorme tempestade que iria marcar a prova durante todo o dia.
Quando chegámos a Dem já a prova tinha partido, ainda fomos a tempo de assistir à passagem dos atletas de novo junto à linha de partida e saudar e dar alguma força ao Vitor Pinto, principalmente o filho David que ali estava, para a dura tarefa que iria ter para concluir a prova naquelas condições!
A decisão estava tomada, iríamos acompanhar pela Serra a prova do Vitor Pinto, os locais dos abastecimentos seriam as bases para o apoio que pretendíamos dar-lhe, contudo o temporal tornou-se um inimigo tremendo para conseguirmos concretizar esse objectivo, correr naquelas
condições é perfeitamente suportável mas andar de carro, parar, sair do carro com um chapéu de chuva é perfeitamente impossível, o frio, a intensidade da chuva, o vento ciclónico impede qualquer tentativa para nos aproximarmos dos atletas, ainda assim conseguimos chegar a todos os
abastecimentos, menos o 1º, e dar o apoio possível com a nossa presença! Felizmente tudo correu bem, para o Vitor e para nós que conseguimos chegar a Dem, onde estava instalada a meta ao fim de pouco mais de 6,30h para o Vitor perfazer aqueles duríssimos 55 kms numa média excelente de quase 9 kms por cada hora percorrida, sem problemas de qualquer espécie!

No final do Dia regressámos a Caminha para passar a 2ª noite na convicção que o dia seguinte iria estar tão mau para a corrida de 27 kms que eu e a Susana iríamos participar, como esteve neste dia, puro engano, de manhã ainda em Caminha o céu estava quase limpo mas ao longe as
núvens negras ameaçavam. Partimos para S. Lourenço da Montaria que distava quase 20 kms, local que ficava na base da Serra D´arga, Concelho de Viana do Castelo. Também ali o tempo estava bom e não ameaçava chover, a incógnita de todos era como estaria o percurso deixado pelos
atletas no dia anterior depois do temporal que tiveram que enfrentar. A organização atenta também nos tranquilizou acerca de certas partes do percurso, nomeadamente o Rio, que estava em perfeitas condições de segurança para a nossa passagem!

Neste 2º dia de provas esta em disputa duas provas, a de 27 kms onde eu iria participar com a Susana e a de 17 kms com partida em simultâneo pelas 9h da manhã, o percurso tinha nos 6 kms iniciais uma fase de descida que nos levaria ao início do Rio Coura, creio que é assim que se
chama, depois chegaria a Serra onde iríamos andar até terminar a prova. O rio foi sem dúvida a parte mais espectacular da prova, as chuvas caídas no dia anterior veio dar uma panorâmica fora de comum ao leito do Rio e ás cascatas ali existentes tornando o local espectacular!
Foi com esta convicção de confiança que partimos para a prova com a noção de que o nosso desempenho não seria nunca aquele que desejaríamos, a nossa pouca preparação e a dificuldade do percurso iria condicionar a nossa prova, e não foi preciso muito tempo para termos o atleta
vassoura colado a nós, é certo que ainda vinham alguns atletas trás mas pertenciam à prova dos 17 kms. Não nos deixámos abater, o nosso lema era: quem faz os 65 kms da Freita em 6/2019 também conseguirá fazer esta apesar da preparação da Susana ter sido quase nula, o Regulamento da
prova não impunha tempo limite e por isso estávamos mais à vontade, também não queríamos andar ali até chegar a noite, fomos aproveitando partes do percurso onde era possível correr um pouco e assim tentar melhorar o tempo final! Por volta dos 12 kms dá-se a separação das provas,
17 kms para a direita e 27 kms para a esquerda, logo ali tivemos uma observação, tipo convite, para virarmos também para a direita, recusámos de imediato e simpaticamente fomos apoiados pelos rapazes que estavam ali a controlar a prova, teríamos de fazer por ali mais 10 kms totalmente
na Serra num sobe e desce espectacular numa Serra que eu muito bem conheço, a partir dali não tínhamos mais ninguém atrás de nós, à frente de nós seguiam 2 atletas com uma diferença de 20 minutos que provavelmente se iria ampliar até ao final da prova, mas isso para nós pouco
importava pois sabia que pelos menos mais de 6h de prova estavam garantidos. Junta-se ali a nós um novo vassoura, o velho guerreiro do Tour de Geans, Joaquim Sampaio, que alegria que eu tive em vê-lo ali, um abraço selou logo a saudade e a amizade, seguiu connosco até final da prova, as
suas histórias acompanharam-nos e foi um forte aliado para que a prova não se tornasse, apesar das dificuldades, tão monótona! As fitas eram imediatamente apanhadas à nossa passagem, também estes 2 amigos que faziam essa tarefa nos ajudaram com o seu velho saber e experiência para que o nosso esforço minorando com alguma distracção.

O Vitor Pinto e o meu neto faziam hoje aquilo que nós fizéramos ontem, em todos os locais onde pudessem ir de carro lá estavam eles, o dia solarengo e fresco permitia desta vez andar na rua e chegar perto dos atletas, chuva nem vê-la, ainda assim num dos pontos mais altos da serra as nuvens desceram ao pico largando não só o frio mas também alguma chuva que rapidamente se dissipou!
Finalmente começámos a ouvir o Spiker da prova, ainda vínhamos a descer a Serra mas ainda a alguns kms, com calma e sem grandes pressas mas já com as dores musculares habituais nestas circunstâncias a apoquentar-nos chegámos à meta com todo o cenário ainda montado! Fiquei feliz
por assim ter acontecido, provavelmente tiveram mais de uma hora à nossa espera mas não se importaram, para mim e para a Susana sentimos-nos honrados porque nos respeitaram até à nossa chegada. Mais feliz fiquei quando de imediato nos conduziram para o palco onde se procedia à
distribuição dos prémios aos atletas vencedores, fotos e aplauso foram-nos concedidos como se fossemos os vencedores de qualquer coisa! Obrigado ao Carlos Sà e toda a sua equipa por aqueles momentos inesquecíveis! Queremos todos voltar!

6,35h foi o tempo que demorámos a fazer os 26,660 kms que a prova teve a um ritmo de 12,48 minutos por km em deslocação, ou 15,27 minutos por km com paragens para pausas!


2 comentários:

Maria Andrea disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
joaquim adelino disse...

D. Andreia, lamento ter eliminado o seu comentário porque visava apenas a oferta de serviços anti bruxaria e outros da mesma espécie. Neste blogue não admito tais interferências, é um blogue que fala de desporto e nele cabem todos os que queiram partilhar experiências ou acompanhar por aqui quem ama esta actividade desportiva!