segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Cross/Trail da Laminha, 13 de Janeiro de 2019

Cross/Trail da Laminha, Mais uma manhã/tarde bem preenchida graças ao esforço do grande obreiro desta prova que já vai na 16ª Edição, sempre com o maior sucesso e com presença assegurada de participantes até ao limite possível que a prova comporta. O Vitor Ferreira com a sua simpatia cativa pelos melhores motivos quem o visita, mesmo até aqueles que se distraíram e não foram a tempo de se inscreverem na prova, e foram à volta de +-200, a compreensão é mútua e ambas desoladoras por não poder ceder aos pedidos e outros por não poder participar, ficando sempre a esperança de um até para o ano! Aos que têm a sorte de lhes calhar um dorsal podem observar o quão simples se transforma na prática conduzir e levar à prática uma competição de nível e competitiva como esta, nada de vaidades, nada de grandes inovações tecnológicas, nada de listas expostas para consulta prévia, nada de dorsais com controlo

electrónico, a fila alongou é certo no levantamento dos dorsais mas à hora de partida já estava tudo em ordem, o número de pessoas no secretariado era reduzido mas muito eficaz, (quase que me atreveria a dizer que o nº de pessoas no refeitório era superior a todos os que na prática deram apoio à prova, sem esquecer claro todos aqueles que estavam espalhados pelo percurso a ajudar os atletas a fazer o seu percurso. Uma prova simples organizada por um grupo de amigos de forma simples e sem complicações, está aqui a explicação porque é que esta prova é tão conhecida e que não consegue ano após ano satisfazer tantos pedidos para nela participar, uma prova que consegue reunir tanta gente e tantos amigos, muitos que há longos anos se habituaram a encontrar um pouco por todo o país nas mais variadas provas de Trail que se vão realizando, amigos que vêm de distâncias superiores a 300 kms ou mais apenas com o intuito de encontrar um abraço dos seus amigos, de matar saudades e de estar ao lado de um amigo valoroso como é o Vitor Ferreira, também ele um velho combatente das montanhas e muito solidário em muitas causas. Estive lá com parte da minha família, participei na prova dos 8 kms, tive a grata satisfação de acompanhar a Dália Leite na sua primeira prova de Trail dentro das minhas limitações, tive também a grata alegria de ver o meu neto David a estrear-se em provas de Trail participando na Caminhada com a mãe, tive o grato prazer de encontrar e abraçar tantos e tantos amigos que já a algum tempo não via. 
É verdade hoje não estou para falar de mim mas sim para homenagear o amigo Vitor Ferreira e a sua persistência em manter de pé uma prova cuja originalidade na atribuição de prémios e organização é única, ninguém saiu de lá rico pelo valor do prémio que ganhou, a não ser o simbolismo que representa cada prémio ali conquistado pelo seu esforço, de resto, todos trouxeram a sua lembrança que sabemos foi dada com muito carinho, não só da organização mas de todos os que contribuiriam para que este evento tivesse o devido relevo que merece.
Por fim, salientar que aqueles 81 minutos que andei dentro daquela mata cheia de túneis, naqueles trilhos bem limpos e estradões que permitiam aos mais capazes esticarem bem as pernas foram de uma satisfação enorme, num novo percurso que ainda não conhecia e que fez as delícias de todos nós Obrigado campeão, obrigado Vitor Ferreira.




  

2 comentários:

Jorge Branco disse...

As melhoras provas são aquelas que são organizadas com amor e carinho e por corredores. Posso dar o exemplo, extremamente conhecia, da Meia Maratona de São João das Lampas. A Laminha é outra dessas provas. Mas felizmente há mais, não muitas mas há, Grande abraço amigo e camarada Joaquim Adelino.

joaquim adelino disse...

Tem razão camarada, partilho da mesma opinião, um grande abraço de amizade e fraternidade!