domingo, 11 de setembro de 2011

Meia Maratona de S.João das Lampas

Foi mais uma excelente participação na Meia Maratona de S. João das Lampas em que para além da corrida se converteu também em algum divertimento debaixo de dificuldades acrescidas, nomeadamente da temperatura ambiente com o asfalto muito quente e ainda com a velocidade supersónica que tive de acompanhar o António e a Ana Pereira, dos Sargentos da Armada. Esta aliança iniciou-se ainda no aquecimento mas desconfiei de tanta "mazela" que diziam sofrer, ainda assim alinhei mas foi sol de pouca dura nas subidas aguentava-me e nas zonas mais planas era o cabo dos trabalhos, sem ritmo a coisa torna-se mais difícil. Esta santa aliança durou até aos 11,5 kms altura em que chegámos ao tão ansiado tanque. E lá estava o abençoado balde de 5 litros que o Fernando Andrade teve a bondade de lá colocar para o banho da praxe, a Ana com a ponta dos dedos molhou a cara , o António levou com um balde cheio de alto abaixo e eu só parei quando já estava com 5 por mim abaixo, soube muito bem, ainda convidei outros que iam passando mas recusaram, nem sabem o que perderam. Depois retomei mas perdi a "roda" dos meus companheiros e não mais consegui recolar.
Voltei ao banho num chuveiro perto dos 16 kms, dali já não me apetecia sair mas ainda faltava 5 kms e segui em persiguição do duo que perdera mas só consegui chegar ao Zé Magro já quase com a meta à vista, dei-lhe uma pouca de água e vai ele com energia renovada ainda me deu quase 100 metros de avanço.
A prova em si esteve espectacular, a exemplo de anos anteriores estava lá tudo, faltou apenas o chuveiro no último abastecimento mas como já estávamos perto não senti muito a sua falte, desta vez até fomos brindados com melancia no final, que bem nos soube e que grande lembrança, ou não fosse o Fernando Andrade um dos nossos.
Fiz a minha prova em 2,10,30h. e por muito que me esforçasse isto já não dava mais, já me convenci que cada ano que passa lá se vão 10 minutos da cada vez, por enquanto.
Resultados:
http://www.honoris.pt/lampas/pesquisaresultad.html

10 comentários:

Hugo Adelino disse...

Olá pai!
Deves te sentir plenamente satisfeito sim...pelo concretizar de mais uma prova e principalmente por te encontrares no meio de verdadeiros amigos. Tens uma personalidade única que muito admiro e que está a vista de toda a gente. Beijinho.

NS disse...

Viva Joaquim,

Fui treinar às Lampas, não o vi mas reparei no balde com a indicação "Para" :-)

Abraço,
NS

Jorge Branco disse...

Grande prova!
Parabéns!
10 minutos por ano? Então 28 anos depois (que foi o meu caso!) tenho de fazer as contas (os músculos da cara devem ser os únicos que não me doem por isso posso rir-me!).

Pedro Ferreira disse...

Quando passei pelo balde sorri. Depois vi a cara de surpreendidos dos corredores que por ali estavam a questionar o porquê do balde. Aí ri à gargalhada a pensar no merecido banho que o Joaquim Adelino ia ali tomar!
É por estas e por outras que adoro correr!

Novais disse...

Parabens, por estar novamente a fazer o que tanto gosta, principalmente na companhia dos amigos.
Abraço

Vitor Veloso disse...

Joaquim,
Este ano não podia faltar ao banho no mítico tanque, não dentro do tanque mas com ajuda do balde ali a merecer de qualquer um!!
Agradável estar junto de si, parabéns por mais uma Meia das Lampas, que já são muitas!!
Grande abraço
VV

José Xavier disse...

Caro Joaquim Adelino;

O Balde da Meia Maratona de São João das Lampas, tornou-se famoso, assim como o local do tanque.

Essas são as coisas pequenas que são tão importantes, no convívio e amizade deste desporto fantástico.

Apesar de cada ano estar mais lento, desejamos que continue assim, a recuperar de saúide e a manter-se entre os amigos na prática do desporto que tanto gosta.

Um abraço amigo
dos Xavier's

António Almeida disse...

Parabéns companheiro por mais uma a que não podiamos faltar, o tempo esse pouco ou nada conta, digo eu...
Abraço.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Com a ponta dos dedos Adelino?! Quer ver que me lavei à gato? Bem...comparado com as baldadas que o Adelino despejou pela cabeça abaixo e com que brindou o António que coitado bem gritou, eu de facto foi apenas uns "salpicos", mas na verdade estendi as mãos unidas em concha e cheias de água lavei a cara e pescoço, deixando a água escorrer pelo peito abaixo. Repeti umas 3 ou 4 vezes... mas depois pûs-me a anadar, antes que o Adelino se lembrasse de me dar banho, porque à baldada, aqui para a menina é demais! Sou muito friorenta e não aprecio o choque brusco de temperatura...

Mas gostei imenso! De correr consigo, de assistir aquele ritual e quero mais! Para o ano lá estaremos!

Um grande beijinho Adelino e muito obrigada pela companhia e desculpe não ter esperado...

Ana

Vitor Veloso disse...

Joaquim,
Obrigado pelas palavras a mim dirigidas, no blog do Antonio! É verdade em três edições grande evolução!!!
Grande abraço
VV