domingo, 22 de março de 2009

MEIA MARATONA DE LISBOA

Ainda a sofrer os efeitos da Meia Maratona de Lisboa, sentei-me um pouco frente ao portátil tentando rabiscar umas palavras que correspondam ao que observei hoje em Lisboa no decorrer da prova e também o meu comportamento durante o percurso.
À espera da partida, Daniel, Joaquim Adelino e Hugo
O dia amanheceu com alguma neblina e a frescura que se fez sentir veio dar uma outra disposição aos atletas com vista a alcançar bons tempos e melhores marcas.
E foi neste ambiente que eu, o Daniel e o Hugo ( desta vez sem a Susana) nos apresentamos naquele mar de gente para iniciar a corrida.
Com a nossa amiga ultramaratonista brasileira ANALICE SILVA
Como habitualmente, a esmagadora maioria dos atletas não têm qualquer hipótese de fazer o seu indispensável aquecimento antes da prova de forma a que em corrida os atletas não corressem riscos de ordem muscular. E é por isso que o arranque é sempre penoso e só por volta dos 2 kms. é que os musculos retomam a normalidade.
Espaço de aquecimento da ELITE.
Esta situação é compreensível, já que a maioria dos atletas estava ali pra se divertir. Os melhores tiveram direito a uma zona reservada na frente para fazer o seu aquecimento, numa área cerca de 150 metros mais à frente do grosso do pelotão.
Nesta altura o nevoeiro já praticamente não se notava e por isso permitiu que eu tivesse tirado algumas fótos.
A partida foi dada à hora certa e rapidamente a entrada da ponte ficou bloqueada, à frente encontrava-se a elite da corrida e depois o restante pelotão, tendo os participantes da mini saído atrás de todos os participantes.
O Hugo no meio da multidão
Ainda não percebi qual o interesse, quer da organização, quer de alguns participantes, que saindo na frente com dorsal de VIP fazem todo o percurso da Ponte a andar e outros muito lentos que acabam por prejudicar o normal fluxo de atletas logo no inínio do tabuleiro.
Aos 5 kms estava o 1º abastecimento líquido, que falhei, estava no lado direito e eu passei pelo lado esquerdo, (em anos anteriores custumava estar ali). Passei com 23 minutos e como vinhamos de uma descida eu ainda vinha bem.
Um pouco mais à frente já vejo vir em sentido contrário os primeiros classificados, cerca de 7/8 atletas, por sinal todos africanos!
O Cristo Rei ali mesmo ao lado
Aos 10 kms passei com 48,10m. e verifiquei que o meu tempo final planeado já não iria ser conseguido, 1,45h. Então dicidi seguir num ritmo que me permitisse chegar ao fim sem grande desgaste e não muito longe das minhas previsões.
Nuna zona do percurso algo monótoma (13kms) passou por mim com a maior das descontrações o António Almeida, tendo eu aproveitado logo ali o incentivo e a satisfação de o ter visto por ali para me motivar mais um pouco na tentativa de não deixar cair o meu andamento.
A família reunida depois da chegada
Em sentido contrário vinham já também muitos amigos meus que conseguiram no final melhorar as suas marcas, aproveitando bem as excelentes condições atmosféricas que se faziam sentir.
A prova estava bem marcada km a km (não tivesse em causa a tentativa de recorde do Mundo, não conseguida) mas confesso que a maioria das placas dos kms não as vi, daí não ter conseguido controlar melhor a minha corrida.
Acabei por chegar com 1,48,19h.
Um recorde é sempre um recorde, e assim consegui bater o meu recorde dos !!! 60 anos. Em Sevilha ,tinha feito em Dezembro 1,50h.
O repouso frente ao Mosteiro dos Jerónimos
De salientar a brilhante destribuição de líquidos em todo o percurso e a localização das bancas com abastecimentos sólidos aos 17 kms.
A animação também esteve excelente com alguns grupos musicais espalhados ao longo do percurso, o que veio ajudar a superar alguns momentos de maior monotomia.
Do Daniel (meu genro) nem sombras eu vi (o sol também estava escondido) avistei-o já depois da meta, andava juntamente com o Hugo a ver se eu não me tinha perdido, está de parabéns porque conseguiu bater o seu recorde pessoal, com 1,24h.
O grupo do CCD Loures à espera do regresso
O Hugo (meu filhote) conseguiu apanhar-me aos 2km e adeus nunca mais o vi, a não ser na meta. Era a sua estreia na distância, com razoável 1,32h.
No final ainda senti algumas câimbras na perna esquerda (bem doloroso, por sinal) mas que rapidamente se resolveu.
Em 2 semanas já totalizei 3 provas num total de 51km, um recorde para mim em termos absolutos, mas ainda bem longe do Fernando Andrade e do Luís Mota, só para falar de alguns.
Agora segue-se já para a semana Salvaterra de Magos e mais 12kms, pois claro.
O meu lugar na geral: 2231 em 5504 chegados.
O meu lugar no escalão mais de 60 anos: 64º num total de 210.
Tempo de chip: 1,48,20 h.
Tempo oficial: 1, 49,30 h.
Ver aqui resultados da prova.
http://www.meiamaratonadelisboa.com/

18 comentários:

Fábio Pio disse...

Olá Adelino!

Parabéns pela prova e por ter conseguido bater o seu recorde pessoal.

Um abraço e continuação de boas corridas!

BritoRunner disse...

Afinal não sou só eu que não vejo as placas com os quilómetros.....rssssss.
Parabéns pelo recorde.

JCBrito

José Xavier disse...

Caro Joaquim Adelino;

Parabens pelo seu record pessoal e pela participacao nesta excelente 1/2 maratona. Segui pela televisão a prova e fiquei com um bichinho e desejo de um dia participar nela. Quem sabe.....!

Um abraco
José Xavier - Holanda

Ricardo Baptista disse...

Amigo Joaquim,
Parabéns pela prova, foi muito bom o record embora a 3 minutos do esperado, mas as ultrapassagens ao principio desgastam muito, somando o mau aquecimento...
Experimente uma meia com menos atletas e o record pode muito bem descer abaixo das 1h45m.
Está em grande forma!
Boas corridas.

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Caro amigo JOAQUIM ouvi dizer dos corredores de Portugal que essa meia maratona é uma delicia de se correr, fiquei com água na boca...rsss...Meus parabéns amigo pela meia maratona de Lisboa completada e por ter quebrado o seu recorde pessoal que legal eu não sabia que tinha Brasileira correndo essa meia legal.
Valeu meu amigo que vc continue assim firme e forte e ainda por cima quebrando os seus recordes...
Boa semana e bons treinos.

JORGE CERQUEIRA

ns disse...

Viva Adelino!

Parabéns pela marca. A 1h45' não está assim tão longe...

Teremos andado perto (também aos 5km em 23 minutos) e acabei com 1:47:03 no meu relógio (tinha uma diferença de 1 minuto e meio em relação ao tempo da prova, estou à espera dos tempos oficiais do chip).

Tomei-lhe o gosto e já me inscrevi para os 15 km dos Sinos.

Abraço e bons treinos!

Anónimo disse...

Amigo Joaquim
parabéns pela sua excelente prova.
Bom que ainda o consegui ver ainda que fosse a "correr", no final tive o prazer de estar com o Daniel e o Hugo (boas provas).
Continuação de boas corridas e vamo-nos encontrando por aí (claro também por aqui).
Grande abraço,
António Almeida

ns disse...

Já há tempos oficiais!

O Adelino fez:

tempo oficial: 1:49:30
tempo do chip: 1:48:20 (este é que interessa!!!)
classificação: 2231º da geral (não vi no seu escalão)

Susana disse...

Mas que bem! Hoje foi só records!
Pai Parabéns! Estiveste muito bem, bom tempo! Estás como o vinho do Porto, cada vez melhor! Eheh
Hoje a alegria foi a triplicar! O Daniel e o Hugo também estão de Parabéns! O Daniel bem que me saiu de casa com a fezada da 1h24, e conseguiu! E o Hugo para estreante da distância... Promete!
Salvaterra de Magos, lá estarei se correr tudo bem! Já começo a sentir saudades de competir!

beijinhos grandes

Carlos Lopes disse...

Olá Joaquim. Ainda andei por lá a sua procura e no decorrer da prova, tinha os olhos nos atletas, com a esperança de o ver. Bem, mas que importa é a sua prova, bem como o record. Os meus parabéns caro amigo.

luis mota disse...

Olá amigo!
Foi um excelente dia em Lisboa.
Tive um problema com a chave do carro mas isso obrigou-me a correr mais rápido para o resolver.
Estive com o Daniel e com grande parte da comitiva que esteve em Sevilha.
Parabéns pela marca.
Grande abraço,
Luís Mota
As classificações estão no site da prova ou em:
http://tomaracorrida.blogspot.com/

João Meixedo disse...

fartei-me de procurar bonés amarelos, mas não o consegui ver, caro amigo. Agora percebo porquê: corremos muito próximo, pois eu erminei com 1:45:00 (tempo de chip)
Foi pena. Fica para a próxima.
Só vi o Luís Mota e o Capela.
Abraço.

Duarte Gregório disse...

Boas,
vamos a ver se pro ano voçe tira a foto comigo ao lado.
claro que tenho de treinar bem bem tentar ir ao seu lado.
abraço

joaquim adelino disse...

Olá Fábio.
A melhor marca pessoal que tenho é de 1,16,30h. Agora os meus recordes são de ano para ano, vivendo e correndo, a brincar claro.

Amigo Brito.
A falta das placas (ou visão?)também trás vantagens, procuramos o km seguinte e de repente aparecem mais 2, então animamos. Devo ter andado sempre no lado contrário.
O recorde foi da casa dos 60.

Amigo Xavier.
Como estava nevoeiro pensei que a televisão tivesse dificuldades em transmitir a prova. Ainda bem que foi possível e assim foi possível matar algumas saudades desta terra que também é sua.
Espero um dia corrê-la a seu lado.

Olá amigo Ricardo.
Aquele princípio penoso e os ziguezagues na Ponte contribuíram de facto para o "mau" resultado.
Para chegar aos 5 kms "só" com 23m é porque tinha feito asneira antes de lá chegar. Agora outra meia-maratona só em Setembro, em S. João das Lampas.

Amigo Jorge.
No Brasil têm a S. Silvestre de S.Paulo, aqui, esta é a prova que tem mais participantes, 35.000 e já não tem capacidade para mais. Ouve muitos atletas que não conseguiram entrar no espaço antes de ser dada a partida. Apesar disso continua a ser a nª1.

Olá Nuno.
Para a estreia está excelente. Gostava de o ter encontrado, mas andou sempre a fugir à minha frente à distância de 1,5m. Tenho de tentar encurtar essa distância.
Pareceu-me conhecê-lo numa fóto à chegada. Agora é preciso ânimo para continuar.

Amigo António.
Que bom ter aparecido ali por volta do km13, estava mesmo a precisar de um empurrão, mas o aperto de mão foi suficiente para renovar ali as energias para continuar. Vou estar presente em Salvaterra de Magos no Domingo.

Olá filhota.
Essa do Vinho do Porto fez-me lembrar logo do nosso amigo Paiva lá de Vila do Conde e o gosto que ele fazia em estar presente nesta prova e rever os amigos. Sobre os recordes, essa é a batalha permanente daqueles cujo lema eu muitas vezes recorro "QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM

Amigo Carlos.
Agora começo a perceber porque é que tenho andado com uma dor no pescoço, andei cerca de uma hora naquele cubículo onde nos enfiaram a ver de caras conhecidas, nem uma.
Parabéns pela marca, aproveitou bem essa figurinha para passar pelos pequenos intervalos que iam surgindo em plena Ponte.

Olá amigo Luís.
Engraçada a justificação para a grande marca alcançada. O convívio final veio compensar a parte mais stressante deste magnífico dia passado na Capital.
Até Salvaterra de Magos.

Meu amigo João.
Foi mais um que andou a fugir à minha frente, 3m é obra!
Eu também o procurei, um assim mais alto, mas só via a cabeça do meu filhote Hugo que estava ali por perto. Fica para a próxima.

Amigo Duarte.
Cá o espero para o Ano e não se incomode muito com o ritmo que eu tenha na altura, é que eu adapto-me a todos os ritmos desde que sejam piores que os meus e não deve ser o seu caso.

Um abraço a todos.

Anderson Consenzo disse...

Joaquim,

Parabens pela prova e pelo belissimo tempo.


Abraço

joaquim adelino disse...

Olá Anderson
Obrigado pela visita e pelas palavras simpáticas que deixou.
Um abraço.

Rodrigo disse...

Parabéns Joaquim! Estou de volta a comentar depois de alguns contratempos com trabalho, virose, mas está tudo sob controle agora. Puxa, fazer uma meia-maratona sem poder ver as placas é meio ruim né? A motivação vem de saber da distância vencida!

joaquim adelino disse...

Amigo Rodrigo.
Até meio das provas gosto pouco de ver as placas, mas a segunda metade é excelente começar a ver a mete cada vez mais perto. Da próxima vez já vou estar mais atento, isto é coisa de principiante.
Espero que desta vez a ruindade se afaste de vez de você, tá?
Bons treinos e boas competições