domingo, 10 de janeiro de 2010

SACAVÉM - O 26º Torneio de Loures (Breve Apreciação)

Com o Amigo Gravito (Director da Prova)
Dupla jornada a de hoje, coisa que nunca tinha feito no mesmo dia, e depois na ressaca não sei se voltarei a repetir a gracinha.
A prova de hoje em Sacavém, organizada pela Cooperativa a Sacavenense foi a 1ª corrida do troféu Corrida Das colectividades do Concelho de Loures, Edição 2010, este ano amputado de 3 provas em relação ao ano passado, de entre as quais o Loures Cross que era habitualmente realizado em Janeiro/Fevereiro todos os anos da responsabilidade do Município de Loures em parceria com a Associação de Atletismo de Lisboa, consumando-se assim o abandono total do Município na organização directa de competições pois há uns anos atrás já deixara cair, (por menos) as 3 Léguas de Loures, prova muito apreciada por todos os que gostam da corrida.
Fiquei surpreso quando cheguei ao local e verifiquei existir uma grande adesão a esta prova, por duas razões: O frio intenso que se fazia sentir e fundamentalmente pela alteração ao Regulamento do Troféu no que diz respeito à atribuição dos prémios finais aos atletas mais bem classificados e ás melhores equipas.
Friamente analizando, compreende-se o motivo face ás dificuldades sentidas a nível financeiro, mas com esta medida salvou-se a continuidade deste Troféu que já vai na sua 26ª Edição e que tem sido o motor do desenvolvimento do Atletismo no nosso Concelho. É verdade que esta decisão assumida pela área do Desporto da Cãmara Municipal de Loures não é do agrado de uns quantos que pelas suas boas qualidades atléticas aproveitavam esta competição para ganhar mais algum dinheiro.
Pois bem, chegou a altura de testar se no futuro existem candidatos ás 10 medalhas que pelo novo Regulamento do Torneio são atribuídas por escalão ectário em cada prova. Sacavém não serve de exemplo, daí a minha surpresa, ou talvez não, é que havia dinheiro em disputa para os 3 primeiros classificados em cada escalão, (prova principal) e então lá estavam novamente as trutas, sempre os mesmos, (na sua totalidade, quase todos de fora do Concelho), e vão voltar, pois estão no seu direito, porque o chamariz do dinheiro ainda vai continuar a funcionar até ao final deste Torneio.
O que lamento, e vai acontecer, é que algumas organizações de provas cá no nosso burgo sem capacidade financeira irão fazer um esforço tremendo para colocar as suas provas de pé e no fim apareçam meia dúzia de fiéis participantes tornando desolador as ruas desertas e reservadas para o efeito e as gentes que pelo seu trabalho realizado irão sentir na pele a desolação pela indeferença.
Oxalá que me engane mas estamos na presença de 3 categorias, não de provas, mas organizações de 1ª, de 2ª e de 3ª, umas têm dinheiro e outras não, estas saiem claramente desfavorecidas, não há dinheiro e a ausência vai-se sentir fortemente porque a medalha não substitui o dinheiro.
Este dilema não existia nas edições anteriores, para alcançar o prémio monetário no final o atleta teria que participar em quase todas as provas para pontuar no seu escalão ectário, agora não, ninguém vem disputr um Torneio para no fim ser premiado com um Diploma!!! Até na pontuação por equipas se perdeu o total interesse, até aqui as primeiras 15 equipas eram premiadas com um Prémio monetário consuante a sua classificação, agora é só premiada a 1ª Equipa que vencer o Troféu com uma Taça de duvidosa qualidade e valor!!!
Como se pode verificar a motivação será praticamente nula para se "lutar"por esses objectivos. Com a agravante e desoladora decisão de se pôr termo, sem apelo nem agravo, ao Torneio Atleta Jóvem que trazia sempre grande animação através da miudagem ás estradas e localidades do nosso Concelho.
Que incentivo terão agora os nossos jóvens? Esta decisão teria sido bem pensada? Parece-me que não e compromete seriamente o futuro desta modalidade no nosso Concelho
Como disse atrás, é preferível a solução que foi encontrada (salvaguardando a necessidade de urgentemente reactivar a Edição juvenil do Trofèu) do que aquela que se prespectivava, acabar pura e simplesmente com este bonito projecto que já dura há um quarto de século.
Será apesar de tudo um Torneio de 2010 onde será reposta alguma justiça no plano desportivo aos amantes da modalidade que correm pelo prazer de correr e que a competividade natural dos mais "fortes" por vezes os impediam até de receber como simples recordação, uma também simples t-shirt.
Amanhã volto para falar do meu treino, seguido da corrida em Sacavém.

2 comentários:

José Xavier disse...

Caro Joaquim Adelino;

Aprecio essa frontalidade e critica construtíva. Espero que tenha razão nos seus argumentos de dar continuidade ao desporto popular, onde muitas vezes e infelizmente tomam-se decisões erradas. Isto só o futuro dirá. Como sempre tenho dito, e ando no associativismo há muitos anos, destruir é fácil, agora construír é os maís dificil e tem de ser sempre com muito esforco dos "carolas" como o meu amigo.

Um abraco amigo do Xavier

Tiago Silva disse...

Bom dia, caro amigo Joaquim;

Quando estava a ler o seu texto tal como, o SR.José Xavier disse adorei mais uma vez a sua frontalidade com este problema,penso que o grande problema disto é que como não há dinheiro nem para as equipas,os escalões jovens que não corriam por dinheiro mas sim por prazer poderão desaparecer,porque as suas equipas lucravam no fim da época e esse pequeno valor já era um insensitivo para que essas associações desenvolvessem o desporto nas classes mais jovens,e sem esse incentivo penso que os verdadeiros lesados poderão ser eles.Se a câmara municipal de loures tem posses para construir um parque de educação rodoviária no parque urbano de Santa Iria da Azoia,mas tal como assistimos esse mesmo não tem uso!É caso para nos interrogarmos da Gestão financeira da mesma.
É triste vermos estas coisas acontecerem no nosso concelho.

Abraço

PS:Espero ainda hoje poder ver e comentar o outro texto.