domingo, 29 de novembro de 2009

Caminhada e convívio na Serra de Sintra


Como estava previsto, apesar das ameaças de mau tempo que não se confirmaram, participei com redobrado interesse na Caminhada na Serra de Sintra promovida pela Associação Mundo da Corrida com partida e chegada na povoação de Malveira da Serra no Sábado dia 28 de Novembro. Prova que merecia certamente a participação de mais caminheiros uma vez que o traçado escolhido pela organização era todo ele percorrido em plena Serra e por locais muito bonitos e acessíveis a todos, mas que certamente motivado pelas ameaças de mau tempo anunciadas durante o decorrer da Semana levaram certamente muitos a afastarem-se desta bonita iniciativa. Não sabem o que perderam.
Fui acompanhado da minha esposa, era já a 3ªvez que participava em caminhadas, da Susana e Daniel e ainda nos acompanhou a Filipa Coelho que tem andado arredada das corridas mas que faz questão de não abandonar de todo a actividade física como factor de equilíbrio para a sua vida particular.
Como estreante encarei bem e com tranquilidade a distância dos 11 kms uma vez que estavam bens enquadrados nos objectivos seguintes que passam inevitavelmente pela Maratona de Lisboa no próximo dia 6 de Dezembro. Ainda assim preocupei-me sobretudo com o equipamento que teria de levar, pois apesar de não chover o frio pela manhã estava lá e aconselhava um bom agasalho.
No total éramos 15, para além do nosso grupo de 5 elementos pareceu-me que os restantes eram habituais frequentadores nestas andanças e ligados de uma forma ou de outra ao Fórum Mundo da Corrida e à sua Associação, pessoal experiente e muito solidária, sempre preocupados para que todos os caminheiros conseguissem da melhor forma ultrapassar algumas fases mais difíceis do percurso.
Todos conseguimos chegar, uns melhor do que outros, mas o mais importante foi estar lá e desfrutar de um passei em plena montanha onde se fez sentir as vantagens para a saúde de cada por poder respirar aqueles ares ainda livre de um qualquer poluidor.
A meio e no final foi servido um pequeno e oportuno abastecimento que serviu para além de repôr algumas energias, também foi pretexto para um pouco de conversa que serviu para unir mais o grupo.
No final foi solicitado que expressásse-mos algumas críticas caso as ouvesse, não havia nada a apontar e estávamos gratos por ter a possibilidade de ali estarmos e conhecer de forma mais efectiva todos aqueles amigos que de uma forma ou outra eu já "conhecia" do Fórum. Um pedido ficou lá, mantenham esta iniciativa e com mais periocidade se possível.
É justo que realce aqui o apoio que a esposa do C.Fonseca (gostava de dizer aqui o seu nome) deu à minha esposa durante todo o percurso, pois a partir de certa altura o calçado escolhido começou a criar-lhe problemas mas com o apoio recebido conseguiu concluir sem que ficassem mazelas para próximas oportunidades.
Aproveitei também estar na presença do Eduardo Santos e trocar algumas idéias sobre o 3º Encontro blogger de atletismo, que tudo aponta para ser na Costa da Caparica no dia 16 de Maio de 2010 aproveitando assim a realização da II Meia Maratona da Areia que a Associação Mundo da Corrida ali vai organizar. Soube logo ali que o Fernando Andrade também já tinha feito esta abordagem e que tudo segue conforme aquilo que pretendemos.
E já vejo o final desta Semana a aproximar-se rapidamente, como convém, e a desejar que o fim de Semana esteja sossegado em termos de ruindade no que diz respeito à meteorologia para que a Maratona possa ter um grau de dificuldade menor para todos.


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Caminhada pela linda Serra de Sintra

No próximo Sábado dia 28/11/09 vou participar pela 1ªvez numa Caminhada e para isso escolhi uma altura propícia para o fazer uma vez que a Maratona de Lisboa está a uma Semana após esta iniciativa promovida pela Associação O Mundo da Corrida.
Realiza-se na Serra de Sintra com partida de Malveira da Serra (junto à Capela, na fóto) e regresso ao mesmo local na distância de 11kms. Confesso que adoro a natureza e é por isso que aproveitando o objectivo da Semana seguinte que me dicidi participar, para tal vou ter agora de me equipar à maneira para enfrentar aquilo.

Vou acompanhado pela minha esposa, (vai fazer a 3ª caminhada), pela Susana e pela nossa amiga Filipa Coelho, grande atleta que nesta fase se encontra numa fase de reflexão em relação ás corridas.

Não vou deixar fugir a oportunidade de estar a poucos metros de um Restaurante (Cozinha Saloia) onde é confecionado e servido o melhor Cozido à Portuguesa que conheço, e fazer uma coisa que já não faço há alguns anos, regressar ali e enfardar até fartar. Não tenham dúvidas.
Quem quizer alinhar ainda está a tempo a inscrição pode ser feita até dia 26/11.

Abaixo está o link de acesso ao regulamento.
Segue-se a Maratona de Lisboa

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Mendiga, o saudável regresso


Voltei à Mendiga, para repetir quase tudo o que se passou lá há precisamente um ano. Desta vez não existiu enganos no caminho, apesar de tanta curva fomos direitinhos até lá.
Quando falamos de rotinas pode parecer aborrecido e pachorrento e ainda pior quando falamos em deslocações para participar em corridas, e foi isto que se passou em Mendiga, uma cópia de uma história já contada o ano passado quando por lá passei. Essa história falava de uma excelente jornada desportiva que ali passei, na recepcção aos atletas, nos amigos que encontrei, na corrida e no almoço de confraternização, confecionado pela organização, onde não faltou a música de um grupo simpático de acordionistas que nos brindou com várias e bonitas músicas.
Pois bem, estas são as rotinas pelas quais nunca me fartarei, tudo impecável por parte da organização desta prova de estrada onde em termos de logística nada nos faltou, 2 abastecimentos, informação de tempos de passagem, trânsito totalmente cortado e máxima segurança para os atletas.
Um reparo que já é "velho", tem a ver com a falta de pressão da água que deveria servir para todos tomarem o seu banho e irem o mais higiénico possível para a mesa e para o merecido almoço. Parecia que estávamos no "Muro das Lamentações" virados para a parede e de cabeça encostada a tentar apanhar algumas gotas que iam caíndo. Estou certo que existirá por ali algum problema de abastecimento e que a organização não deixará de ter em atenção na próxima edição.
Tão igualzinho que até o meu cronómetro marcou o mesmo tempo de há um ano, e eu também envelheci na mesma proporção, encontrei os mesmos amigos, o Luís Mota lá estava acompanhado da Mariana, o Ultra-Maratonista Esmeraldo Pereira, e muitos outros amigos que não perdem esta prova.
Tive ainda oportunidade de conversar um pouco mais durante o almoço (onde deveria ser?) com o Luís Parro... de quem tinha recebido um chega para lá quando me apanhou já perto dos 13kms, foi de uma simpatia... até já. Vingou-se de Melides/Tróia.
Durante toda a prova tive a companhia inseparável do Daniel e do Mário Lima, só assim consegui fazer os 16,600 kms à média de 5m o km. Confesso que não esperava, este ritmo é demasiado para mim nesta altura e não se pode dizer que a prova seja fácil, sobe e bem, quer para um lado quer para o outro mas para ajudar tínhamos as bonitas paisagens ali mesmo ao lado da Serra dos Candeeiros, embora a mim pouco serviram porque nestas coisas quando damos o litro nada nos distrai para ajudar a minimizar as nossas fraquezas.
Não me importo de voltar para o ano e repetir tudo de novo e desde que continue a ser servido
aquele espectacular prato de bacalhau assado com batata a murro, então a motivação será muito maior. Recomendo a todos.
video
Dia 28/11 segue-se uma caminhada na Serra de Sintra, mais precisamente com partida na Malveira da Serra, vai servir de pretexto para no final me atirar a um Cosido à Portuguesa, num restaurante da especialidade sem rival ali mesmo ao lado.
Depois, bem, está logo ali a Maratona de Lisboa!!!

domingo, 15 de novembro de 2009

Meia Maratona da Nazaré.

É verdade , isto hoje deu para tudo.
Pelo 3º ano consecutivo fui participar na Meia Maratona da Nazaré, antes nunca lá tinha estado e já vamos na 35ª edição, e ainda hoje me questeono porque é que estive ausente tanto tempo desta excelente prova. Seja como for só tenho razões para estar satisfeito nestes 3 anos por ter colocado no meu caminho esta mítica Meia-Maratona: A 1ª para me familiarizar com ela, a 2ª permitiu um contacto mais perfícuo com os amigos da blogosfera, onde destaco o início de uma amizade profíaca com o Fernando Andrade, Luís Mota e também o António Almeida e familiares, a 3ª foi hoje e os motivos ocasio
nais e de satisfação não faltaram.
Mal cheguei à Nazaré dáva-se início a uma "banhada" inesperada, recebo um telefonema da filhota Susana, (tinha passado a noite de Serviço) para lhe arranjar 2 dorsais para amigos seus (bombeios) que queriam correr e não estavam inscritos, solícito iniciei essa tarefa e logo concluí a tarefa, o problema era saber como é que eu ia saber quem eram e como fazer chegar os dorsaias aos tais 2 amigos, mas ela logo me tranquilizou afirmando que eles me conheciam muito bem. Fiquei mais descançado e eis que de repente me interpelam os tais 2 "bombeiros" quando me viro dou de caras com a Susana e o Daniel !!!! mas que grande partida e ainda estou para saber como é que me deixei enrolar em tal história, é que eles não estavam mesmo inscritos. Escusado será dizer que fiquei muito satis
feito por os ver por ali.
A Nazaré para além da corrida, para mim teve outro ingrediente, aliviar um pouco da Maratona do Porto do fim de Semana passado e conviver um pouco com os amigos, aqui fiquei um pouco dividido no período do almoço e tive de optar por ficar com o grupo de amigos onde estavam os meus filhos, os amigos do Vale do Silêncio e da família do António Almeida. O outro grupo ao qual não pude fazer companhia eram os atletas do meu Clube que também estavam ali em grande número, tenho pena de não ter conseguido juntar todos mas para o Ano haverá mais Nazaré nesta mesma altura.
Para a corrida tinha previsto alguma contenção e até tinha combinado com o nosso treinador fazer a corrida em conjunto com ele e partilhar alguns abastecimentos que levava p
ara uma altura em que tal se justificasse. Aqui falhei, juntei-me aos atletas do Míster e esqueci-me dele, quando olhei para trás já não vi e segui. Logo desde o início juntou-se a mim o José Magro que por imposição auto-disciplinar e para combater a tendência de castigar demasiado o seu organismo após a Maratona do Porto com a intenção de se auto-controlar, e comigo ele sabia que isso era possível.
E foi assim que percorremos toda a prova após os amigos do Vale do Silêncio se irem embora logo no início, entre eles ia a Susana, conseguimos chegar ao retorno (12kms) com cerca de 1,09h. e foi a partir daí que forçámos um pouco ritmo, sem exageros, mas o suficiente para irmos ultrapassando muitos atletas que nesta altura já iam em quebra, beneficiando assim de uma 1ª parte feita com
bastante à vontade e dentro do plano traçado para esta competição. Nesta fase parecia que o José Magro funcionava como um autêntico rebocador, eu dentro das minhas possibilidades ia correspondendo como podia e ele ia ajustando a sua corrida ás minhas capacidades. Aquilo até funcionou bem e quero agradecer-lhe por isso.
Os "nossos" melhores especialistas corresponderam muito bem ao que se esperava deles com excelentes resultados, o Rui, o Vaz, o Inocêncio, o Paulo, Zé Pereira, Charneca, Hugo, Rodrigues, Mota, Almeida e o Míster!!! andou a treinar no escuro para chegar ali e fazer boa figura e que figurão.
A tarde foi passada em são convívio, tive pena de não ter ali a meu lado o Lúís Mota e família e também o Fernando Andrade (esteve muito bem na corrida), que por motivos particulares tiveram que se ausentar depois do final da prova.
Agora segue-se a Mendiga na distância de 16,300kms. já no próximo Domingo dia 22/11.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Maratona do Porto - 16 anos depois, voltei

16 anos depois voltei à Maratona, com algum nervosismo mas com bastante serenidade aguardei o sinal de partida, um pouco antes desse momento foi tempo de saudar os amigos que por ali iam aparecendo aos poucos, este ambiente também serviu para desanuviar um pouco a pressão sobre aquilo que nos esperava. Substituí o aquecimento habitual por um cafézinho bem quente que a organização sempre coloca à disposição dos atletas junto ao local de partida.
Coloquei a fasquia possível nas 4,15h. pelo que consegui treinar na preparação da Maratona, mas para isso tinha de conseguir rolar a 6 minutos o km, mas após a partida verifiquei que me encontrava muito bem e consegui manter um ritmo perto dos 5m o km, para isso contribuiu a companhia de um pequeno grupo onde se encontrava o amigo Jorge do BES onde me integrei até ser possível acompanhá-los, a partir dali corri quase sempre isolado, aliás como gosto de correr, não me surprendeu por isso passar aos 10kms com 53m e aos 20 com 1,49h. Um pouco antes ainda tive a companhia do Nuno Cabeças que vindo de trás ali ficou um pouco comigo incentivando-me e dando força para continuar, obrigado Nuno, sabe sempre bem uma palavra amiga em momentos cruciais. A meia-maratona foi atingida com 1.56,09h. bem abaixo do planeado (2,06H), tendo eu nesta altura começado a fazer contas, (era aquilo que eu não queria), mas devo confessar que comecei a sentir-me confortável com aqueles 10 minutos de avanço e a sonhar que era possível baixar a barreira das 4 horas. Foi com este propósito que prossegui tendo atingido os 30 kms com 2,47,24h, (Nem sonhava que nesta altura já o Luís Mota tinha terminado com 2,42h.), aqui percebi que se quizesse chegar à meta abaixo das 4h tinha de sofrer um pouco pois tinha apenas 1minuto de folga para conseguir agora esse novo objectivo. Os 40 kms são atingidos com 3,46,30h, já bem justo para as 4h finais e foi aqui que tive de ir buscar forças que pensava já não ter, tendo cortado a linha de chegada com 3,59,40h (4,00,06h Oficial) pese embora aquela subida final que foi feita de dentes cerrados à procura desta ambição pessoal construída a partir de metade da prova.
Para isto muito contribuiu a ajuda em todo o percurso da prova, ouvia o meu nome em muitas bocas a apoiar o esforço, quer de colegas da corrida quer de muita gente que estava à beira da estrada, para isso contribuiu os dorsais personalizados que têm impressos em locais bem visíveis o nosso nome, de realçar também o extraordinário apoio logístico que nos foi dado ao longo do percurso em líquidos e comestíveis em locais muito precisos permitindo assim a cada um gerir o seu esforço de modo a que pudesse chegar ao próximo abastecimento a tempo de repôr as energias para prosseguir.
A partir dos 15 kms fui repondo a cada légua as energias que ia perdendo, assim a cada abastecimento de água correspondia a ingestão de um GEL, fundamental para a regularidade que consegui em toda a corrida.
Foi em 1993 que corri a última Maratona, em Lisboa, foi muito penosa e concluí em 3,49h mas ficou a declaração que as maratonas tinham acabado e fui conseguindo manter esta intenção até à primeira metade deste Ano. A rotina também satura e dicidi quebrar a barreira que me impedia de participar em novos desafios que na minha qualidade de Veterano Avançado já via cada vez mais inviabilixado. Em boa hora o fiz, com responsabilidade e respeito pela minha idade assumi como objectivo voltar ás maratonas, a Ultra-Maratona de Melides/Tróia de 43kms e o Trail de Óbidos de 39kms estavam no caminho e serviram para me preparar psicologicamente para a Maratona do Porto e para a Maratona de Lisboa que se realiza em 6 de Dezembro de 2009.
E é assim que vou continuar, os amigos, os meus filhos (Hugo e Susana) e o meu genro Daniel têm me dado a força suficiente para continuar e enfrentar estes desafios, todos sabem que o faço com a consciência dos riscos que possa correr, mas até ao momento tenho sabido dar bem conta do recado e tento minimizar ao máximo qualquer efeito negativo para a minha saúde pelo facto de adorar correr e enfrentar desafios que sei estarem ao meu alcance. (É uma forma de estar na vida).
Saliento aqui também o envolvimento que fui alvo por parte de alguns amigos nesta jornada do fim de Semana, nunca estive sozinho (desta vez o grupo familiar ficou em "casa") mas os amigos Fernando Andrade, António Almeida, Luís Mota e familiares estiveram sempre presente, como lhes agradeço.
Segue-se a Meia Maratona da Nazaré já no próximo fim de Semana, assim o permita a normalização de algumas mazelas que ficaram do Porto, mas estarei lá porque para além da corrida prevê-se mais um encontro de grandes amigos ali sentados a uma mesa na presença de uma boa caldeirada. (A caminho da Maratona de Lisboa)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

RIBAFRIA e o prazer de voltar SEMPRE.

A corrida em Ribafria, Concelho de Benedita, está associada para mim há vários anos a três manifestações de prazer que me levam a reservar esta prova como indispensável no percurso natural das competições de fim de Semana.

À partida com o Serrazina


E ontem dia 1 de Novembro repetiu-se a tradicional vertente corrida e convívio junto de amigos do meu Clube e amigos da Benedita que mais uma vez se juntaram em grupo e ali mesmo à beira da estrada me receberam muito bem quando eu lá passei aos 11kms a caminho da meta. Parei como é meu custume, bebi um copo de aguapé e uma mini sandes de carne muito apetitosa, um pouco de conversa e a fóto da praxe (tinha lá deixado a máquina na 1ª pasagem). Uma pessoa sente-se feliz por encontrar amigos assim, eles conheceram logo quando passei e deixei a máquina e ouvi um a dizer "é o homem da Net" (no ano anterior fiz uma referência no meu blogue ácerca desta mesma acção que me fizeram) e não mais me esqueceram.


A Susana no pódio


E é pela simpatia que me dedicaram, desta vez já lá pararam mais, que lhes agradeço, deixando sempre aqui uma palavra de reconhecimento.
A prova até me correu muito bem, foram 12.700 metros (GPS) tendo eu acusado mais uma vez falta de ritmo, principalmente em terreno plano e nas descidas, já que a subir as coisas estavam muito bem, bom ritmo e com força. Contei desde o início com a companhia do meu colega de equipa Mário Lima e do blogue http://hojecorroeu.blogspot.com/ mas a partir dos 6kms ele começou a fraquejar nas subidas e ficou, eu segui o ritmo que desejava e esperei por ele no "tal" convívio aos 11kms. Parei o cronómetro e voltei a activá-lo depois do "reabastecimento" tendo cortado a meta com o tempo líquido de 1,04,24h.


Aos 11 kms "reabastecimento" com os amigos da Benedita


A Organização "brindou-me" com o tempo final de 1,16,30h (12 minutos durou o tempo da Patuscada).
Desta vez também tive a companhia do Daniel e da Susana, tendo a Susana com algumas dificuldades pelo meio conseguido a 3ª posição no escalão femenino, sempre acompanhada pelo Daniel com a boa marca de 55 minutos no final. Tiveram ainda tempo para me ir encontrar no "reabastecimento" dos 11kms. e é claro que também foram muito bem recebidos por aquele grupo de amigos.


Berberete no Pavilhão em Ribafria

A Organização esteve mais uma vez muito bem, desta vez até colocaram à nossa disposição um berberete em pleno Pavilhão, ali mesmo ao lado onde estavam em exposição os troféus a conquistar pelos melhores atletas em competição, e que bem nos soube.
E como é de tradição o José Pereira "o latifundiário" do grupo levou-nos mais uma vez até ao seu Tengará (uma bonita propriedade
onde pontifica a Pera Rocha) ali na pequena Aldeia da Sobrena, do Concelho do Cadaval, e ofertou o almoço a todo o grupo do CCD de Loures que esteve presente, tendo ali passado o resto do dia na companhia da sua simpática esposa e dos 2 filhos e ainda de um grupo simpático dos seus amigos.


Na Quinta do Zé em Tengará, Sobrena

Já de noite regressámos a casa com a companhia da chuva, embora miudinha mas sempre perigosa, prontos para continuar os trilhos da vida e da estrada.
Agora segue-se a desejada, a Maratona do Porto, só faltam 6 dias.