segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Meia Maratona de Sevilha 2012

Está finalizada a penúltima prova programada para 2012, a Meia Maratona de Sevilha realizada no passado Domingo dia 16 de Dezembro veio pôr termo também a provas com alguma distância considerável realizadas este ano.
Sevilha, e esta prova em particular, já me mereceram  7 deslocações nos últimos 10 anos e parece-me que este ciclo acabou aqui, não que esta Meia Maratona tivesse perdido qualidades ao nível organizativo (excepto a organização do local de chegada) mas porque a distância a percorrer para se chegar até lá desde Santa Iria da Azóia é saturante e o envolvimento final na chegada de apoio aos atletas já deixa muito a desejar, talvez os sinais de crise também estejam a chegar a esta prova que sempre nos presenteou muito bem ao longo das 6 edições anteriores em que participámos.
Nesta 34ª edição a prova esteve igual a si própria sem alterar nada daquilo que já se conhece, excepto os abastecimentos, mas aqui o problema continua a ser meu, chego demasiado tarde à meta, as 2 horas que levo para fazer a distância já não chegam para garantir à chegada o necessário apoio sólido, banana e laranja (era o que havia), atrás de mim muitos outros chegaram e não gostaram tal como eu da inexistência desse apoio indispensável após percorrer aqueles 21 kms bem difíceis.
Bem podiam partir as bananas em 2/3 bocados nos abastecimentos ao longo dos 5 postos, mas não, eram bananas inteiras, e muitas delas estavam espalhadas pelo chão, que podiam ser incaminhadas para a meta e apoiar aí os últimos classificados. Depois existem também os ganaciosos que ao chegarem nem sequer se lembram que existem outros a chegar e que precisam também de se alimentar, aqui a responsabilidade também é da organização ao permitir o acesso dos atletas já chegados de voltarem a uma zona de chegada para repetir e repetir até ficarem empanturrados, para eles os outros que se lixem!!! Apanhei uma água, devolvi o chip e saí dali para fora com a ideia de não mais voltar!
A prova até me correu muito bem, (até deu para aos 19kms beber uma imperial que me iria estragar o resto dia, mas isso é outra história), bem como aos meus 3 Amigos do Vale do Silêncio que me acompanharam, o Rui Pacheco, O Luis Santos e o Hernâni Monteiro, aos 15kms ainda ia dentro do objectivo traçado para esta prova, as 2h. mas aos 17 já levava 1minuto de atraso e decidi por incapacidade física não forçar nada e terminar a prova em condições aceitáveis.
Os 2,27minutos para além das 2 horas representa ainda assim alguma estabelidade nesta distância, recordo que na Maratona de Lisboa a 1ª parte foi feita exactamente com o mesmo tempo começando depois a partir dessa distância a quebra que se acentuaria até ao seu final.
Tempo final: 2,02,27h. distância 21,095kms.
Até ao Ultra Trail dos Abutres em Janeiro irei tentar recuperar um pouco, poupando-me, ainda que tenha até lá o treino/convívio noturno de Monsanto no dia 21, a S.Silvestre dos Olivais e o Cross da Laminha para fazer.
Prevejo um ano de 2013 bem engraçado!!!

4 comentários:

JoaoLima disse...

Uma Meia uma semana depois duma Maratona!
Sempre a abrir, amigo Adelino

Um abraço

Anónimo disse...

Essa nunca fiz e parece-me que não farei mas nunca se sabe, mas é como diz são muitos quilómetros para correr apenas uma meia.
E depois com esta crise que nos assolou e que prevejo ainda fará muita mossa aqui por casa estamos numa de forte contenção para provas de atletismo, em 2013 muito provavelemente ficarei por perto de casa com 2 ou 3 excepções além-fronteiras.
Até aos Olivais, antes tenho Lisboa.
Abraço,
António Almeida

Jorge Branco disse...

Ainda um dia gostava de saber onde vai buscar toda essa energia!

Mário Lima disse...

Joaquim

Três vezes fiz esta meia maratona e chegou.

A chegada a Los Palácios é extraordinária (não sei se ainda se mantém) mas tudo tem um princípio e tudo tem um fim.

Fazer tantos km para uma meia mais vale ir até à Figueira que sempre fica mais perto.

:)

Abraços.