terça-feira, 30 de outubro de 2012

Maratona do Porto, a minha 14ª

2012---4,13,51h.
Está concluída a minha 14ª Maratona de estrada, foram 10 nos últimos 3 anos e em Dezembro farei a 15ª se conseguir comcluir a de Lisboa.
Os Amigos do Vale de Silêncio inscreveram 7 atletas para participarem nesta Maratona do Porto, 2 deles estreantes e que eu tive o prazer de apadrinhar, pena tive eu de não os poder acompanhar do princípio a fim como é de obrigação, mas era pedir demais e assim limitaram-se a partir comigo e depois esperarem por mim no Hotel, ao Henriques e ao Miguel os parabéns por ostentarem agora o título de maratonistas com a bonita marca de 3, 28h. Aos outros: Chinita, J.Gomes, Hernãni e Emílio vão também os meus parabéns, quer pelas provas realizadas quer pela sua companhia neste bonito fim de semana passado na bonita Cidade do Porto.
Aquilo que receava para esta prova de maratona acabou por se verificar, a parte final foi bastante dolorosa, os primeiros 30 kms foram muito bons e sem qualquer esforço para além do desgaste dos kms percorridos, 2,50h marcava o meu relógio mas era já mais que evidente que aquele estado de graça não ia demorar muito tempo. Tinha passado à meia-maratona com 1,56h (menos 5m do que na Meia da Moita há 15 dias), para isso contribuíra a 1ª parte da prova muito favorável onde incluía a descida da Avenida da Boavista durante alguns kms, depois já em Matosinhos apanhei o Pacemaker das 4h. e fui ali durante algum tempo até que verifiquei que o ritmo imposto naquela altura era exgerado e fiquei para trás com o meu ritmo na casa dos 5,30m por km. Levava comigo um jovem amigo que ia fazer a sua estreia, também ele se queixava do ritmo mais elevado que o Guia levava (no caso a prestigiada amiga Conceição Grare), pouco depois olho para trás e também já não vejo, creio que tomou uma boa opção ao ficar e seguir no seu ritmo mais confortável, soube no final que concluiu e se sentiu sempre bem em toda a prova.
2011---4,14,06h.
O vento também apareceu mas em abono da verdade acabou por me favorecer pela fresquidão que proporcionava, contudo a luta para o vencer obrigou a mais algum gasto de energias, desde Matosinhos e até chegar à Ponte D. Luís foi um fartote mas eu ia determinado a tentar chegar por volta das 4h. de prova. Após a Ponte D. Luís a caminho da Afurada, entre os 24 eo 27kms, começo a cruzar-me com muitos amigos, quer do Clube quer muitos outros que vou fazendo por aí, os incentivos não param e tento retribuir conforme posso, as pernas já começam a pesar, considero isso normal pois não treino para maratonas de estrada, é verdade que faço provas mais longas e duras na montanha mas em proporção faço menos kms a correr de forma seguida, daí a dificuldade em manter durante os 42kms uma corrida constante ainda que para além das 4h.
Aos 32kms sou alcançado pelo colega de Clube Joaquim Gomes, trazia o sonho de baixar das 4 horas nesta sua 3ª Maratona, fica ali um pouco comigo mas rapidamente lhe digo para ir embora senão não conseguia alcançar o seu objectivo pretendido, partiu e eu não consegui manter o seu ritmo. No final estava lá sentado quando cheguei desolado por não ter conseguido, 9 segundos a mais e o sonho de -4 tinha ficado adiado. Para mim os 32 kms foram o sinal que não valeria apena forçar mais e tentar chegar ao fim da maratona o melhor possível, em cada bastecimento estava a beber duas garrafas de água, levei 3 géis e foram todos, não ingeri qualquer produto sólido nas bancas (eles estavam lá mas eu nem os vi) e isso também deve ter contribuído para o estado lastimável que se ia apoderando de mim conforme ia chegando o final da prova.
2010---4,23.15h.
Andei um pouco no empedrado junto ao Castelo do Queijo e depois na subida dos 41 kms, aqui nem o incentivo de um amigo das Lebres do Sado me valeu, mas chegado ao alto desta "rampa" a corrida voltou e foi até ao final daquela interminável recta, aqui ainda ouvia muitos incentivos e lá estava a Flor Madureira que mesmo atrás da sua máquina fotográfica ainda teve tempo de me dar uma forçazinha, obrigado. Penso que em corridas nada há de mais satisfação do que passar o risco de meta e quando a avistamos a emoção toma conta de cada um, são uns metros finais que nos compensam por tantos sacrifícios passados para chegar ali, para mim foi a 14ª mas foi como se fosse a 1ª vez, poderia ser uma rotina mas uma maratona representa sempre uma grande conquista e um grande respeito.
Concluí com 4,13,51h. numa distância que o meu cronómetro marcou de 42,450kms.
No Ano de 2011 conseguira fazer a mesma prova em 4,14,06h. isto é uma diferença de apenas 15 segundos.
A equipa dos amigos do Vale do Silêncio presentes na
Maratona do Porto.
Para o ano vou voltar, a inscrição já foi feita logo no início do evento deste ano, agora que esta edição já acabou direi que mais uma vez fiquei altamente satisfeito pela forma muito profissional como foi conduzida a organização desta Maratona que a exemplo das anteriores não me deixa outra alternativa do que voltar e tentar concluir mais uma num ambiente que não deixa ninguém indiferente.
Segue-se agora os trilhos de Casainhos aqui perto da porta e depois mais um duro desafio, desta vez em Barcelos dia 25 de Novembro.
Como dizia um amigo há dias na Net, numa das suas hilariantes paradas, esta de Barcelos é também para alguns "cagões" (desculpem-me a expressão, que é dele) e como eu me revejo nesses cag.. (intrepertando os seus considerandos) por andar mais lento que os primeiros e como tal não devia andar lá feito impecilho por andar muito e correr pouco, e depois ter a mania de contar pela escrita e pelas fotos os meus feitos (que são pessoais e nada mais) devia ser impedido de participar. É um amigo que estimo e lamento tal opinião, limitarem-me a participação porque não consigo correr toda a prova de montanha ou que não consiga pelo menos metade isso não. Por isso dicidi e porque ainda estava em dúvida participar no Trail de Barcelos, mesmo que me limitem os tempos de passagem como este amigo propôe eu esterei lá para participar, não como cag.. mas porque adoro a Natureza e isso é um bem que não pode ser retirado a um velho atleta que gosta de estar junto daqueles que admira num ambiente onde não pode haver restrições para além daquelas que são mais óbvias, nomeadamente a segurança e a dignidade de todos os intervenientes.
Fotos

13 comentários:

Isa disse...

É assim mesmo!
Ninguém o pode impedir de desfrutar do prazer de correr e andar quando necessário.

14 maratonas é muita maratona!
Parabéns por mais uma!

JoaoLima disse...

Parabéns amigo Adelino!

Jorge Branco disse...

Mais uma excelente prestação amigo Joaquim Adelino.

Mas essa dos cagões deixou-me profundamente irritado!
Muito poucos atletas fazem o que o amigo faz na sua idade!
Não sei a idade desse amigo mas deve ser mais novo.
Numa prova só temos de cumprir o regulamento e chegar dentro do tempo limite e ninguém tem nada a ver com a nossa prestação.
É melhor ser “cagão e praticar desporto que ficar em casa sentado a ver tv!
O que é um atleta? Fazer 2:30 na maratona é excelente? Se pensarmos nos grandes corredores africanos se calhar podemos começar a dizer que 2:30 é um tempo de “cagão”!
Tudo é relativo!
Eu sou um “cagão” orgulhosamente assumido. Não corro para ganhar a ninguém, nem devo justificações a ninguém! Corro o que posso e o que consigo e com muito prazer,
Já corro há 32 anos e para teorias dessas já não tenho paciência!
Sei que não me devia enervar com estas coisas mas os tempos estão mais para revolta que para calma!
E já que estou a usar o temo cagão, que é calão, então com as vossas desculpas: BARDAMERDA!
Jorge Branco
Corredor de fim do pelotão.
Cagão orgulhosamente assumido!

joaquim adelino disse...

De acordo amigo Jorge, por estranho que pareça este amigo faz os trails que eu tenho feito é muito mais novo com idade de ser meu filho e e a sua diferença na chegada à meta até nem é muito grande, e por estranho que pareça não larga a massa no Faceb. e eu é que sou o cagão. Esta observação não me foi feita directamente, nem eu o permitiria, mas tocou-me e não pude ficar calado. Abraço e mais uma vez parabéns pela prestação no Monje.

Anónimo disse...

Antes partir que vergar. É deste metal nobre mental que são feitos os verdadeiros campeões. Parabéns amigo pela tua 14ª maratona e pela excelente crónica.Um abraço.

Leonel Neves

luis mota disse...

Parabéns Adelino.
Para todos, um grande exemplo de determinação e de empenho.
Barcelos é uma grande prova de montanha na qual também conto marcar presença (o que ainda não é certo).
Parabéns pela sua 14ª Maratona e espero que termine com sucesso a 15ª em Lisboa.
Grande abraço

Amigos Vale Silêncio disse...

O desporto é para quem o AMA, os verdadeiros desportistas respeitam o seu adversario, os verdadeiros desportistas aceitam a derrota mas não se resignam e acima de tudo um desportista primeiro supera-se e só depois supera os adversarios, se o dito cagão ler este texto pense que a liberdade dele acaba quando não respeita a dos outros e que nunca será um vencedor mesmo chegando em primeiro, porque não merece o respeito de quem para com ele perdeu.....
Fernando Silva

Joaquim Costa disse...

Parabéns meu caro amigo por concluir mais uma maratona.Tive pena do que aconteceu á Natércia pois caso contrario teríamos cortado a meta juntos tinha previsto acabar com 4:15:00.Nunca se deixe levar por esses comentários baixos , e felicidades para a sua vida.

Jose Xavier disse...

Joaquim Adelino,
Parabéns por mais esta!...e agora rumo à 15a......força.

E um viva aos CAGÕES...!!

Um abraços dos Xavieres

Anónimo disse...

Quem não se sente não é filho de boa gente… Porém, não é qualquer um que tem categoria para te ofender…

Conta a história que numa certa manhã, um homem muito sábio, convidou o filho a dar um passeio no bosque. Ao chegarem a uma clareira e depois de um pequeno silêncio o Pai perguntou ao filho:
- Além do cantar dos pássaros, estás a ouvir mais alguma coisa?
O filho apurou os ouvidos alguns segundos e responde:
- Estou a ouvir o barulho de uma carroça.

- Isso mesmo, disse o pai, é uma carroça vazia.
Pergunta o filho:
- Como podes saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?
- Ora, respondeu o pai, é muito fácil saber que uma carroça está vazia por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz.
Adelino, existem pessoas assim infelizmente, que são muito vazias, que só trazem rancor, invejas, que são como uma verdadeira carroça vazia fazendo apenas muito barulho na sociedade...

Aos 64 anos o teu currículo é de campeão!

Um grande e forte Abraço!

Orlando Duarte


Carlos Cardoso disse...

Olá Joaquim, antes de mais muitos parabéns por mais esta maratona concluída e tb pela crónica. Aproveito tb para lhe desejar boa sorte na 15ª em Lisboa....não é para qualquer um fazer duas Maratonas em pouco mais de um mês.
Um grande abraço de um "cagão" - se um "cagão" é alguem que adora correr então sou um com muito gosto
Carlos Cardoso
www.papakilometros.blogspot.com

Avicor disse...

Grande Adelino ., parabéns por mais uma maratona concluida ., que vc possa correr varias outras ok

Abraçoss

Romildo

CORRIDA SEM LIMITES disse...

Parabéns guerreiro,muito bom ,nunca corri Maratona mas um dia chego lá.
bons treinos
abraço