terça-feira, 12 de junho de 2012

Mais um treino de Trail com a Serra da Freita no horizonte, 11/6/2012

Mais um treino a caminho da Serra da Freita, na companhia do Daniel (meu Genro), Rui Pacheco e Nuno Gameiro fizemos mais 34 kms passando pelos Caminhos do Tejo até Alverca fazendo depois uma incursão à Serra logo após a povoação de Arcena em Alverca até chegar perto de Mato da Cruz, depois foi percorrer as serras desde o Cabêço da Rosa, Monte Serves, Eólicas junto à pedreira até chegar à Granja, ali ao lado de Vialonga. Importa nesta fase para além de kms a duração dos treinos, desta feita foram 4,44h. à média de 8,20m por km.
A Serra da Freita tem de extensão para fazer 70 kms, mais de 4 mil metros de acumulado positivo, trilhos manhosos e um rio de sonho para ultrapassar sendo necessários 17,30h. para vencer aquilo dentro dos limites impostos, ou seja à média de 20kms para cada 5 horas. Pode parecer fácil à 1ª vista, até porque dispomos de 21 minutos por km para vencer aquilo mas só para quem não conhece aquilo é que poderá pensar que se faz com uma perna ás costas. É por isso que estou a preparar melhor a minha resistência para tais dificuldades.
Dizia o José Moutinho (organizador da Prova) à 2 anos no pequeno breifing que fez e também já depois de terminada a prova que numa prova com esta dificuldade extrema tem de se treinar também de uma forma afincada a caminhada e é isso que tenho feito, para além de ser mais agradável caminhar, este movimento permite restaurar forças para se correr em locais mais acessíveis e assim possibilitar uma progressão assente em bases mais resistentes.
 Tenho de louvar aqui a paciência que os meus colegas de treinos têm tido comigo ao se manterem sempre por perto já que eu de forma alguma e em circunstâncias normais jamais os poderia acompanhar, tendo eu aproveitado ao máximo a sua companhia procurando mesmo assim contribuir para se tirar o máximo de rendimento do treino de cada um deles.
Falta menos de 3 semanas para a Freita, tendo ainda os Trilhos Loucos de Reichida para fazer no próximo dia 24 de Junho, nesta fase creio que o plano está a ser cumprido com um treino semanal acima dos 30 kms depois de ter concluído com êxito o Ultra Trail de S. Mamede à 3 semanas atrás. Assim creio ser possível desta vez superar as dificuldades que a Freita representa, com já "conheço" a 1º parte espero pelo menos alcançar os 40 kms com 8 horas de prova deixando para os restantes 30 kms as 9,30h seguintes que tenho como limite para terminar aquilo. A partir daqui é a Freita que está no meu pensamento, pelo respeito que lhe tenho e pelo desejo imenso de a vencer.
Mais fotos

3 comentários:

Mário Lima disse...

Mais um treino, mais um evento e dos duros em vista e o Pára não pára.

Olha, ó Pára!...Quando parares diz-me, ok?!


:)

Grande Abraço Adelino e que desta vez os 40 km do ano passado fiquem bem para trás.

Jorge Branco disse...

Excelente treino.

O saudoso, e querido amigo, Sálvio Nora, ensinou-me mesmo isso, que nas provas de montanha é essencial saber-se caminhar bem em montanha.
Ele além de corredor participava em grandes caminhadas de montanha e nas provas conseguia muitas vezes, nos locais de mais difícil progressão, evoluir mais rapidamente a caminhar que outros atletas a correr!

Anónimo disse...

Amigo Joaquim
esta ano o pára vai "conquistar" a Freita, será mais um desafio superado, outras se seguirão, o pára não pára mesmo, espero continuar a ver essa garra por muitos e bons anos.
Boa Reixida, fico pela margem sul.
Abraço,
António Almeida