domingo, 26 de junho de 2011

Corrida das Fogueiras, Peniche 2011


Um dos nossos craques na 1ª linha

A Corrida das Fogueiras dá gosto de facto voltar todos os anos a Peniche e apreciar aquilo, milhares de atletas, mini incluída, avenidas cheias de público, visitantes e locais, o Comércio local (nomeadamente a restauração) com um pouco mais de ocupação e ambiente embora se fizesse sentir fortemente a crise que está instalada no nosso país. A noite estava propícia para a Corrida, sem vento mas com uma ligeira brisa e uma temperatura amena bem ao jeito dos gostos da maioria dos corredores. Tudo decorreu ordeiramente, espaços muito reduzidos para correr no início da prova para tantos participantes, de positivo a forma como os atletas conseguem enquadrar-se naquela exiguidade inicial sem qualquer atropelo sobre o próximo. Fantástico o apoio constante do público durante a passagem dos atletas criando motivação acrescida para quem ali tem o papel de protagonista principal numa festa que todos os anos a Edilidade de Peniche oferece a quem os visita.
A Corrida das Fogueiras continua a ser uma prova espectacular, pela 2ª vez estive lá sem ter o prazer de a ter corrido, ambas por motivos de saúde, (2007 e 2011), no intervalo fiz duas e o ano passado faltei para participar na Ultra Maratona da Serra da Freita a 27 de Junho de 2010.
Um brinde à excelente noite passada em Peniche
Pela minha parte, na pele de visitante a convite do meu genro Daniel, gostei imenso de tudo o que vi tendo como é custume aproveitado e tirado algumas fotos e realizado um pequeno vídeo no início da Corrida (ver no rodapé) que mostra bem a quantidade enorme de atletas que por ali marcaram presença.
Fantástico também o convívio final onde é colocado à disposição de todos um espaço enorme onde os convidados se podem misturar e conviver em torno da sardinha e da febra.
Tudo a condizer, tudo a merecer uma próxima visita.
Uma nota negativa: Como é que a organização deixa correr um atleta (ainda por cima em tronco nu) na cabeça do pelotão (sempre em 2º lugar) do princípio ao fim (saíu antes da meta) levando ao engano dos restantes atletas que atrás de si seguiam, levando-os certamente a um esforço suplementar perfeitamente escusado? Creio que a organização deveria imediatamente retirar da prova o dito atleta, até porque ele é sobejamente conhecido, como sinal de desciplina e respeito que todos nós devemos salvaguardar e preservar perante todos.
Fotos
Vídeo

1 comentário:

José Xavier disse...

Caro Joaquim Adelino;

Deve ser uma maravilha, fazer essa prova, numa cidade que conhecemos muito bem...e no final o convívio da sardinhada, faz-nos lembrar Sto André, e já se passaram 3 anos.....

Continuação de boa recuperação.

Um abraço dos xavier's