domingo, 19 de dezembro de 2010

Grande Prémio de Natal, Lisboa.

Descendo a Avenida da Liberdade
Falhada a deslocação a Sevilha programada para ontem e onde hoje iria participar na Meia Maratona, aproveitei e participei hoje em Lisboa no G.P. de Natal na distância aproximada de 9 kms.
Nesta fase e até à Maratona de Sevilha  (13/2) vou contentar-me em fazer provas de distâncias curtas no sentido de fazer alguma recuperação para o exigente Calendário que vem aí a seguir ao dia 22 do mês de Fevereiro. (ver ali a barra do lado dirito, uff)
Há uns anos que já não fazia esta prova de Lisboa, ainda por cima tinha assistido o ano passado áquele bloqueio na chegada dos atletas que chegou a provocar filas antes de cortar a meta com cerca de 150 metros, situação que provocou o desagrado daqueles que foram atingidos.
Pensava-se que este ano a prova fosse duramente penalizada por esse e outros aspectos mas "salvou-se" e este ano teve uma forte adesão, a roçar quase o milhar de participantes.
Temia-se no início que a destribuição dos Chips no local de partida desse caldeirada, mas não, aquilo estava bem feito e muito prático, facilitou também o bom hábito dos atletas chegarem cedo ao local de partida e assim permitir uma fácil destribuição e escoamento daquele meio de controlo. (Ainda não percebi porque é que não deram o Chip juntamente com os dorsaís destribuídos na véspera da prova, pode ser que ainda me esclareçam).
A minha prova foi bastante penosa no início, sem ritmo,  pesadão, com algumas dores musculares e um joelho já a dar de si. Até aqueci um pouco antes da prova mas nem assim foi suficiente para que isto encarreirasse como deve ser, e quando saímos do Saldanha mantive-me com todas as cautelas para evitar algum mal maior. No Campo Pequeno já me sentia mais solto e com outra disposição impondo então um ritmo melhor já que o circuito, permitia que, em caso de algum desgaste se podia fazer alguma recuperação em zonas planas durante a maior parte do percurso.
No meu pensamento inicial estavam os 50 minutos, mas rapidamente esqueci isso pois estava a correr a um ritmo muito superior do que sopunha ser capaz, por razões óbvias, de tal forma que mal me descuidei já estava a descer a Avenida da Liberdade, (ainda à pouco estava a passar em frente da Churrasqueira do Campo Grande), tendo aproveitado a descida para consolidar um melhor ritmo que de há muito tem andado arredado da minha prática da corrida.
A cortar a meta com uma ajudinha
Á chegada aos Restauradores fiquei surpreso, pensava que tinha de ir dar a volta ao empedrado da Praça do Rossio,  de repente vejo ali a meta , não é que não ficasse satisfeito, mas assim a prova fica muito mais curtinha e não havia necessidade, bastava-nos apenas meia estrada e não chegávamos a prejudicar o trânsito.
Para os 8,750kms do percurso gastei das minhas reservas 43,54 minutos noMeu Garmin)!!! (oficial, 44,15 minutos).
Gostei do comportamento de todos os elementos da minha equipa, parece-me que ficaram todos à minha frente, (o Míster teve a amabilidade de me empurrar para eu ficar à sua frente), gostei das marcas que obtiveram, alguns deles bem abaixo dos 28 m.
Gostei também do abastecimento que deram aos 5 kms, penso que não era necessário até pelo frio que estava, de lamentar mais uma vez a falta de civismo de muita gente que continua a atirar as garrafas de plástico para o chão depois de se hidratarem, desta vez nem se podem desculpar pois havia contentores com abundância e espalhados por uma distância de mais de 200 metros.
Também não percebi aquele ziguezaguear no funil após o final da prova, a ideia podia ser positiva mas só até determinado momento, pois logo que aquele labirinto encheu cá atrás a molhada continuou, felizmente que este ano todos puderam cortar a meta a correr, o que se saúda.


A.M.M.A. fotos

4 comentários:

Henriqueta Solipa disse...

Bom esforço e bom relato!
Não referi no meu blog, mas concordo plenamente com o que aqui referiu "(Ainda não percebi porque é que não deram o Chip juntamente com os dorsaís destribuídos na véspera da prova, pode ser que ainda me esclareçam)".

Foi uma das coisas que me deixou intrigada...

Bons treinos... melhores provas e até breve!

.JOSÉ LOPES disse...

Mais um bom treino Joaquim para a longa lista de provas longas que se avizinham no próximo ano, só de as percorrer com os olhos fico cansado, algumas devem ser muito duras.
Também não percebi aquela entrega separada de chips e dorsais.

Bons treinos e
Boas provas

Com os cumps
J.Lopes

Mário Lima disse...

Olá Pára

O "Comando" não está desaparecido em combate, só está a "hibernar" que este tempo nem para ursos está bom.

:))))

Estou a brincar. São afazeres da vida e como provas para mim estão limitadas, agora já não vou a todas.

Esta por exemplo, como o disse o ano passado "jámé". Um dia levanta-se o dorsal, no outro o chip, qualquer ano só no terceiro dia é que darão o "prémio" de presença.

Encurtaram o percurso, qualquer dia nem chegas a aquecer. Sim! Um maratonista como tu, numa prova destas, quando acabas é que começas a aquecer.

Vale a intenção e aqueles que lá vão.


Abraços

joaquim adelino disse...

Óh Mário ias acertando, mas por defeito, quase ao fim de uma Semana e ainda não se conhece a Classificação Colectiva e por arrasto os prémios para asEquipas ainda não foram atribuídos.
Uma prova destas e com este desprestígio só tende a minguar e a ficar cada vez desacreditada.
Até à S.Silvestre de Lisboa?
Abraço