segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Meia Maratona da Nazaré 2010


Início da Meia Maratona
 Pelo 3º ano consecutivo (em 36 Edições da prova) estive na Nazaré a participar na sua Meia Maratona. A ideia era, e foi, recuperar da Maratona do Porto realizada no fim de Semana passada no dia 7 de Novembro.
Para isso contei com a ajuda do Mário Lima, pelo menos até ao retorno aos 12,5kms, e o resto estive por minha conta já que ele a partir dali não me quis dar mais confiança!!!
Mas a ideia era correr ao lado de outros amigos e de forma mais lenta, de entre eles estavam a Ana Pereira, o António, ambos do Clube de Sargentos da Armada, do José Magro, de entre outros, só que procurei e não os vi.

O Comando e o Pára inseparáveis

Também chegámos atrasados, o nosso "GPS" levou-nos de Loures até ás Caldas da Rainha para aí então entrarmos na A8!!!!!!!!!!! e por isso tivemos muito pouco tempo para preparar a partida e pôr tudo em ordem.
Ainda assim encontrei quase toda a rapaziada amiga que esteve comigo no Porto, tendo escolhido a Nazaré para acalmar um pouco os ânimos até que a Maratona de Lisboa não chega.
A Susana e o Daniel acompanharam-me nesta prova, ela a matar saudades daquela animação e aproveitar para passear um pouco ali à beira mar (em Janeiro vai ser mãe), ele que aproveitou o fim de Semana prolongado para fazer mais uma corrida juntamente com um bom número de colegas que representaram o nosso Clube, O Vale do Silêncio.
 Parti com muitas cautelas com o Mário e íamos olhando para trás a ver se vinha o grupo que eu procurava (também não sabia se estavam para a frente), os primeiros 5 kms foram ultrapassados com esse pensamento mas a partir dali fomos aumentando gradualmente o andamento e começámos a ultrapassar atletas, alguns deles bem conhecidos e que também estavam na ressaca do Porto. No lado contrário começaram a vir os atletas que já tinham feito o retorno e naquele ponto onde eu ia, 10kms, já levava 5kms de atraso, nada de especial considerando as naturais diferenças. O Luís Mota tinha-me afiançado que hoje era mesmo para descansar, acreditam? e lá vinha ele muito bem classificado na geral, ele não se poupa mesmo, felizmente tudo lhe correu bem mas acho que ele tem de se moderar um pouco se quiser chegar a Lisboa em condições de melhorar ou aproximar-se da sua melhor marca na Maratona.
Almoço convívio
Muitos outros amigos se foram cruzando comigo até que ouço a Ana Pereira a incentivar-me do outro lado da estrada, afinal ela vinha para trás, como eu já ia sozinho e com algum avanço deste grupo segui num andamento agora mais forte na tentativa de ainda aproveitar uma possível quebra do Comando, passo pelo Rui, namorado da Ana e saúdo-o satisfeito por o ver ali e pensar que a sua luta contra o tabaco acabará por sair vencedora e sigo. Aos 15 kms falta água no abastecimento, só havia esponjas e vi muita gente a apanhar garrafas do chão para beber alguns restos. Foi uma pena esta mancha, ali estava o abastecimento conjunto dos 10 e dos 15kms. a organização tem de repensar e resolver este problema, é verdade que muitos atletas levavam em grande parte duas garrafas cada e não pensaram nos que vinham atrás, à falta da sensibilidade de alguns tem de responder a organização com alguma disciplina.
Escaldado como eu já estou levei desde o início os meus 2 cantis e aquela falha no abastecimento não me afectou porque tinha ainda alguma água tendo mais à frente, aos 16kms, abastecido num chafariz que estava ali à beira da estrada. Ainda ofereci alguma a alguns que eu via que estavam mais aflitos.
Enquanto corria à procura da meta ia olhando ao longe mas do Mário nada, e resignei-me, ainda não era hoje mas sentia-me bem e segui sempre num andamento mais forte na tentativa de mesmo assim chegar dentro das duas horas de prova. O vento estava mais forte e ameaçava chover, é assim que eu gosto de correr, cada vez que nos aproximávamos mais daquela Avenida imensa da Nazaré o vento ia castigando cada vez mais, mas eu ia a gostar pois tornava o ar mais fresco, ajudava a respirar melhor enquanto o corpo se ia sentindo também bem mais fresquinho.
Aos 20 kms vi que iria para uma marca abaixo das duas horas, tinha 1,51h. o suficiente para acabar dentro dos planos possíveis e mais uma vez sem mazelas que pusessem em causa as provas programadas que se seguem.
 Terminei com 1,57,07 para os 21,290kms.??? 1005º da geral, média de 5,30m. (A organização creditou-me com 1,57,55h.
 Aproveitámos no final para nos juntarmos num almoço convívio num dos muitos restaurantes existentes na Nazaré e ao mesmo tempo aproveitar para que cada um podesse pôr a conversa em dia.
Segue-se a prova da Mendiga já no próximo dia 21 de Novembro. (A caminho de Lisboa)
Classificações

9 comentários:

luis mota disse...

Amigo Joaquim!
Depois da noite de chuva e vento não imaginava que teríamos um daqueles dias na Nazaré.
Foi muito agradável o aquecimento em convívio depois todos terminamos a prova bem, o que era o mais importante.
Depois da prova também reuni com a equipa em almoço de convívio.
Gostei bastante da prova da Nazaré.
Agradeço à Susana as fotos que retirou e disponibilizou aqui na blogosfera, pois os meus “fotógrafos de serviço” infelizmente não estiveram presentes.
Espero que tudo continue a correr bem com a Susana e que em Janeiro, mês do aniversário do Luís Carlos, tudo corra pelo melhor.
Cumprimentos para todos,
Luís Mota

José Xavier disse...

Olá Joaquim Adelino;

Sempre em forma e com boa disposição a fazer mais uma da Nazaré.

A minha já foi há 33 anos atráz, nem imaginava eu nesse tempo que iria voltar a fazer atletismo de estrada tantos anos depois. E agora já cá cantam, nesta nova fase da vida 10 1/2 maratonas.

Gostei de ver na foto a Suzana, já um pouco distante da mesa, e saber que está tudo a correr bem até janeiro. Um beijinho para ela...
e um abraço amigo dos Xavier's

João Paulo Meixedo disse...

Este Homem é do Norte, carago! Só que nunca ninguém lhe disse. Maratona do Porto num domingo e Meia da Nazaré no seguinte?!
Em grande!
Um abraçôm

V. Ferreira disse...

Amigo Joaquim,
Tenho colegas que depois da Maratona do Porto fizeram... descanso! Poderia prejudicar a forma!
Ora o amigo só lhes mostrou que a vida é para quem a sabe viver.
Parabéns pela prova e pela companhia sempre agradável.
Até domingo na Mendiga.
Um abraço

Vitor Veloso disse...

Olá Joaquim,
Mais uma realizada, mesmo uma semana depois da Maratona do Porto esteve bem rijo.
Felicito pela garra que tem, sempre disponível em ajudar e incentivar.
boa semana
Grande abraço
Vitor e meninas

Fernando Andrade. disse...

Grande Adelino.
É assim mesmo. A maratona serviu de treino para esta meia.Parabéns.
Lisboa já espreita.
Abraço.
FA

Carlos Alexandre Lopes disse...

Parabéns nosso pára

Mário Lima disse...

Olá Joaquim

Desculpa lá no retorno ter dado à vila-diogo que eu não te posso dar confiança que trepas logo.

:)))

Fizemos uma bela prova. Durante 12,5 km ali fomos juntos.

Sempre perto dos 5'30'' por km e não te ressentiste da Maratona, tanto que depois aceleraste no retorno e a nossa diferença de tempo não foi muita.

Agora que estamos a ficar com alguns cabelos brancos (poucos ;) ) é que estamos a verificar que afinal há um outro lado da corrida, correr pelo puro prazer de o fazer.

Abraços Joaquim e Parabéns pela magnífica prova e pelo convívio final, extensivos à Susana, ao Daniel e a toda a malta que lá esteve.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Meu amigo Joaquim! Tive pena de o não ter encontrado antes da prova para seguirmos juntos conforme estava combinado, e eu que até tinha medo de não conseguir fazer o que me tinha proposto, mas consegui! Pena o Joaquim não estar lá para ver e sentir, passo a passo.

Mas fiquei muito contente de o ver, lá mais para a frente, no seu ritmo. Que isto de corridas, é mesmo assim, salvo raras excepções: cada um tem de encontrar o seu ritmo e segui-lo.

E haverá mais oportunidades com certezas, e espero eu, que consiga ir consigo, sem o Adelino ser obrigado a abrandar!

Um beijinho e até à próxima

Ana Pereira