terça-feira, 19 de outubro de 2010

Corrida do Bicentenário das Linhas de Torres



A Edição da corrida comemorativa do Bicentenário das Linhas de Torres realizada no dia 17 de Outubro que ligou Sobral de Monte Agraço a Torres Vedras foi mais um êxito a juntar a muitos outros que a Autarquia de Torres Vedras leva a efeito no plano Desportivo.
A juntar a este sucesso está naturalmente a Xistarca que no plano organizativo esteve mais uma vez excelente.
A corrida do Bicentenário contou com 194 atletas chegados à meta, podemos considerar que foram poucos, mas se calhar a organização também não pretenderia reunir ali um pelotão muito volumoso já que a intenção era mesmo comemorar esta data histórica.
Com transporte dos atletas até ao local de partida a Autarquia deu uma excelente ajuda na resolução deste problema mas este dado não chegou ao conhecimento dos atletas pelos canais normais de informação, tendo desta forma muitos deles levado as viaturas para o Sobral e depois tiveram por diversos meios de os recuperar no final da prova.
Por sorte (eu e o Daniel) obtivemos a informação na véspera num contacto estabelecido com a Xistarca e fomos directos a Torres Vedras até ao local de concentração.
Na ida para o local de partida o insólito aconteceu, a cerca de 5kms encontrámos uma cancela dos Caminhos de Ferro fechada e com a sinalização a funcionar, esperámos e esperámos, até que comecei a ver os automóveis a contornar as cancelas e a passar, curioso o motorista da Cãmara foi ao local, (estávamos a 100 metros) e foi observar o que se passava e disseram-lhe que aquilo estava avariado!!! e por isso estavam a passar. O seu grau de responsabilidade revelou-se logo ali quando nos disse que também estaria disposto a passar desde que atravessassemos a linha a pé, e assim fizemos, tranquilamente e com todo o cuidado. A linha tem ali duas curvas, uma em cada lado bem próximas e o perigo podia ser eminente mas o descernimento do motorista e a colaboração de todos ajudou a que tudo acabasse em bem e podemos então seguir viagem.
Partimos para a nossa prova de 15kms logo após a passagem da prova oficial, era aquela que concentrava naturalmente todas as atenções da Organização e populares, e porque não também dos atletas presentes nesta corrida do Bicentenário que ali estavam? Exactamente 4 minutos depois saímos nós numa correria louca já que descemos cerca de 2 kms sem encontrar qualquer dificuldades. Mas quem desce muito também sabe que logo a seguir vai apanhar subida pela certa, e ela surgiu logo a seguir a Dois Portos, 2 kms a subir até Caixaria, a meio estava o 1º abastecimento que aproveitei para encher um pequeno cantil pois mais à frente estava com intenções de tomar um Gel e não sabia se os abastecimentos estariam em locais adequados para o efeito. Tinha feito a esta fase da corrida com o Carlos Coelho mas para o final da descida escapei um pouco pois sentia-me bem e é nas descidas que eu habitualmente fraquejo sempre, como disse, no 1º abastecimento bebi e enchi o cantil, parei para conseguir fazer esta operação rápida e logo segui, o Carlos esteve quase a chegar novamente mas como não olhei para trás segui e ele nunca mais conseguiu colar. Depois de Caixaria encontrámos mais uma longa descida até perto de Runa, lembrei-me do Xavier e da Esposa, como eles devem conhecer bem estes caminhos, uma Terra muito bonita e com gentes muito acolhedoras, foram muitos os aplausos e as palavras de incentivo, coisa rara, no entanto esta Terra tão bonita bem merecia uma placa de identificação bem visível para os seus visitantes e não aquela que lá está, pequena e em muito mau estado dificultando a sua leitura para quem não a conhece.
Quando voltámos a passar pela tal cancela já estava a funcionar como deve ser e desta vez já pudemos passar com total segurança.
A partir do último abastecimento foi o cabo dos trabalhos, principalmente pelos 17 kms, o trânsito conseguiu invadir a estrada, esta ainda por cima era estreita e tinha viaturas a circular nos 2 sentidos, fiquei "entalado", junto a um motar da Polícia, atrás de um camião e acossado por outro e ali permaneci quase 1km sem poder ultrapassar e a levar com os gazes queimados daquele monstro, um pouco mais à frente viramos finalmente à esquerda numa estrada que nos levava até Torres e sem mais confusões.
O último km (à boa maneira do Jorge) foi feito totalmente dentro da Cidade de Torres Vedras passando sempre pela zona mais nobre desta bonita Cidade acabando no Parque Central onde estava instalada a meta final.
O Daniel já me esperava, tinha feito uma prova muito interessante face à sua condição física actual (algum atraso na sua preparação) conseguiu a marca de 1,09h controlando sempre nos limites o seu esforço.
Como sempre faço corri confortavelmente sem nunca atingir o limite de esforço, só assim conseguirei alcançar o objectivo de chegar à Maratona do Porto em condições de a realizar e se possível sem sofrimento.
Nesta Prova precisei de 1,21,08h para percorrer os 15,110kms com a média de 5,22m por km.
No próximo Sábado estarei em Almeirim para percorrer os 20 kms, ali sei que vou encontrar novamente muitos amigos, o que é sempre muito agradável.
O que é as Linhas de Torres?

7 comentários:

José Xavier disse...

Olá Joaquim Adelino;

Eu estava desejoso de ler o seu texto aqui no blogue, sobre esta prova. Dos atletas que conheçemos ( e que têm blogue) foi o único que lá esteve a participar. Fiquei a manhã de domingo ligado ao rádios locais na Internet ( Sobral e Torres) e um não funcionava e o outro nem uma palavra sobre a prova, fiquei triste !! Afinal uma prova desta natureza merecia outro carinho regional radiofónico e depois passam horas de futebol e futebol, enfim é o que temos.

Gostei de saber da vossa passagem na corrida, pela aldeia que nos viu crecer. Runa sempre foi muito ligada ao desporto, no máximo fomos em tempos aureos campeões nacionais de luta grego-romana, que eu também fui praticante, por isso aquelas pessoas acarinham os desportistas de forma diferente.

A prova teve um percurso, que conheço de olhos fechados, o qual é bem puxadinho, com as tais subidas e descidas, mas com uma beleza envolvente fora do comum.
Se tivesse sido antecipadamente mais divulgado, poderiamos ter ido participar, mas quando tivemos conhecimento, estava muito em cima e não dava para a nossa organização pessoal.

Gostei de ver a boa prova que fêz. Parabéns !! pena não terem fechado por completo o trânsito para os que são mais lentos, pena que só participaram cerca de 200 atletas.
Espero que futuramente as Linhas de Torres ( mesmo que sem o Bicentenário e a Taça dos campeões) seja uma prova para ficar, e quem sabe nós podermos participar.
Gostei de ver na classificação, nomes de ex-colegas de escola e do atletismo em Torres Vedras.
Também gostei do balanço geral, e ficamos com muita e muita « àgua na boca » !!!

Um abraço amigo dos Xavier’s

joaquim adelino disse...

Olá amigo Xavier, tal como o meu amigo também espero que esta prova tenha continuidade e com a distância da Meia Maratona pois o Sobral merece a visita desta Corrida.
Eu vi por lá alguns orgãos de comunicação social, incluíndo a tv de Torres, mas pronto, se calhar o Atletismo ainda não é muito atraente para aquela gente que justifique alguns directos, como diz, é o que temos e se calhar também o que merecemos!!!
Um abraço.

NS disse...

Viva Adelino,

Fico contente que tenha apreciado a corrida de Torres. Eu, apesar de fortemente aliciado para correr em «casa» não fui capaz de dizer não a uma ida ao tartan :-)

Tenho pena de não ter estado presente, e de não lhe ter recomendado os belos pasteis de feijão da Fábrica Coroa que estava a uma dezena de metros da meta :-)

Por último, não é de admirar os órgãos de comunicação locais não darem destaque ao atletismo, Torres Vedras, apesar do Lopes viver em Santa Cruz, é e será sempre uma terra de ciclistas por causa do Agostinho :-)

Grande abraço,

NS

Jorge Branco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eric Blair disse...

Sempre em grande estilo, o meu amigo, não falha um fim-de-semana, sempre com provas no calendário. Pelo relato, esta deve ter sido bem simpática.
Um grande abraço e ... lá acabei por me inscrever na maratona da Imbicta.
Até lá,
Um abraço.

António Almeida disse...

Olá Joaquim
é por essas e por outras que cada vez mais estou mais virado para os trilhos, se destas ninguém fala, as de trilhos como sabe, só quase quem lá anda é que sabe do que se trata, mas sabe uma coisa, não é que gosto disso, enfim...
Sábado lá estaremos para correr e conviver um pouco, claro com a invicta no pensamento.
Até lá, abraço.

luis mota disse...

Olá Joaquim!
Parabéns pela participação e pela crónica que nos trouxe.
Gostaria de ter participado, sendo a terra do Amigo Xavier, mas temos que tomar opções.
Conto ir a Almeirim.
Até amanhã,
Luís Mota