segunda-feira, 24 de maio de 2010

Geira Romana, a corrida que não pude fazer

A corrida ideal que eu tinha programado para mim este Ano acabou por se tornar num pesadêlo e tornou-se também na corrida mais curta que efectuei ao longo de 22 anos de corridas quando por ironia pretendia fazer a mais longa, 52kms.
Foi uma grande desilusão, tudo começou no Sábado quando um simples vaso sanguíneo rompeu em resultado de uma forte constipação que já durava há dois dias. Segui viagem na mesma mas a meio da tarde o nariz voltou a sangrar, já estava em Guimarâes, aí comecei a recear o pior.
No dia da Grande Corrida pelas 05,30h o nariz voltou a sangrar e só parou quando já ia no Autocarro que nos levou até Lóbios, Espanha. A partida foi dada depois de todas as formalidades habituais neste tipo de provas, só que a minha preocupação não era a corrida e a sua distância mas sim o nariz e até que ponto ele ia resistir, e o pior aconteceu logo ali a 200m da partida, o nariz cedeu novamente e vi logo que era o fim, prosseguir seria suicídio e foi com grande frustração que os vi prosseguir, o Mário Lima ainda se apercebeu da situação e logo lhe disse para ir embora porque eu ficava ali. Aceitei com resignação esta grande desilusão, afinal tinha cumprido todas as etapes para estar ali: Inscrição, treino, logística, picagem do ponto antes da parida, partilhado aquele "Avé Cézar" da praxe e finalmente a partida para ao fim de 200 metros desistir e desejar boa sorte aos que prosseguiram.
Regressei a Caldelas, local de chegada da Corrida, ainda a tempo de ver a partida da Susana em Autocarro para o seu local de partida a 15 kms de distância.
Passei pela Residêncial para me desequipar e ir esperar a Susana na chegada da sua prova e também dos heróis que vinham de Lóbios a 52 kms de distância, pois estavam lá o Daniel, meu genro, o Mário Lima, O António Almeida e ainda o Vitor Veloso, (aqueles mais chegados) por que havia lá muitos e muitos amigos.
Dirigi-me para um local a cerca de 1 km de distância e para isso tive de subir por entre um casario situado numa enorme encosta e esperei por eles num pinhal em pleno trilho da Geira preparado com a máquina fotográfica para registar o regresso de todos aqueles corajosos corredores a "casa". Foi a forma que escolhi para não passar por ali em vão e me recupensar pela situação.
A ansiedade era muito grande, e estava preocupado com o Daniel bem como com todos os amigos, estava muito calor e vento nem se sentia, mas só me restava aguardar.
50 minutos depois da partida começam a passar por mim os primeiros corredores da corrida dos 15 kms onde estava a Susana e parto ao seu encontro, ao mesmo tempo vou fotografando a passagem de todos os atletas. Levava uma garrafa com água para lhe dar pois pensei que já viesse um pouco aflita já que não levou qualquer abastecimento consigo e estava dependente dos apoios da organização e eles eram só 2. Fiquei muito feliz quando a vi aproximar-se, vinha em 2º lugar, e seguia logo atrás do Orlando Duarte que também vinha muito bem e tal como imaginara a água foi-lhe muito útil ali, prosseguiu e eu ali fiquei à espera dos heróis da Geira Romana.
Depois de 4h e mais 3 m desde que saíram de Lóbios passaram ali por mim os 2 primeiros atletas, aparentemente ainda bem, o 3º passaria um pouco depois com sinais visíveis de ter sofrido uma queda. Foi preciso esperar mais 45 minutos para ver passar o 4º classificado já muito desgastado, tal como todos os outros que vieram a seguir. Conforme iam passando fui fazendo a fóto, como lamento não me ter apercebido da passagem do Jorge Serrazina para ficar registado.
Mal sabia eu que iria assistir a situações quase dramáticas, e não fosse a Susana ir ao meu encontro e ajudar-me e muitos amigos teriam passado muito pior. De todos o que requereu mais atenção foi o Fernando Manuel, dorsal nº34, quando o vi já vinha a cambalear, mal tivemos tempo de o amparar, como tínhamos água depressa o refrescámos e ali ficou um pouco sentado ao pé de nós, tendo seguido a passo logo que vimos que já o podia fazer, no final disse-nos que os últimos metros já os fez a correr e que estava bem.
Eu ia-me estendendo até aos 2kms e ia incentivando todos e dando água enquanto tinha, depois fui vendo chegar a malta amiga, 1º o Vitor Veloso, depois o Daniel, meu Genro, que sentimento de alegria tive quando o vi aparecer numa curva após ter subido um pouco antes mais um "muro". O Mário Lima já me tinha telefonado a dizer que também tinha desistido devido a uma queda e em consequência ter sofrido uma rotura muscular, mas já estava em Caldelas.
Ainda fiquei por ali mais um tempo, vejo passar o Brito, o Tiago, o Magro, o Vitorino Coragem, até que chega o António Almeida vinha muito desgastado tal como todos os outros mas com total lucidez, fiquei muito contente de o ver assim, acompanhei-o até ao alto da última subida e ele seguiu correndo até à meta, faltava escassos 2 kms.
Vim depois andando até ao local de chegada, onde me aguardavam a Susana e o Daniel, eram 5 horas da tarde, fomos então almoçar, desde então o nariz já atacou mais 4 vezes, estava a ver se evitava uma ida ao médico mas estou a ver que será inevitável.
Tenho de voltar à Geira, aquele desafio é para vencer.



Ver fotos aqui
e aqui

21 comentários:

Fernando Andrade. disse...

Grande Adelino.
Acontece, mas nada de frustrações. É inteligente sabermos que não estamos em condições. Põe-te mas é bom.
Grande abraço.
FA

JOSÉ LOPES disse...

Boa noite Joaquim

Por não ter participado nesta prova(o que é frustante) não deixa de ser um grande atleta, com muitas provas dadas ao longo destes anos.

Penso que depressa ultrapassará esta situação , partindo para outra(corrida).

As melhoras

Com os cumps
J.lopes

Filipe Fidalgo disse...

Olá, Joaquim.
Um Objectivo não cumprido, não é um objectivo falhado, mas sim um ganhar de experiências que tornarão ainda mais grandioso aquilo que pretendemos alcançar.
Fiquei comovido pela sua tristeza, mas feliz de saber que existe um ser muito Humano nas corridas sempre pronto a ajudar os outros.
Um grande Abraço, pode ser que para o ano a Geira seja nossa.
Filipe Fidalgo

Mário Lima disse...

Joaquim

Não fizeste a prova, mas o teu apoio a quem dele necessitava a finalizar a prova, descendo e subindo várias vezes buscando água para saciar a sede a companheiros que estavam já carentes dela é de salientar.

Agora há que tratar desse problema nasal.

Para o ano voltaremos à Geira.

Abraços

Anónimo disse...

olá Amigo Adelino
é aborrecido, de facto, mas faz parte, por vezes nem tudo corre como esperamos. e não há nada mais frustrante do que perder a possibilidade de pelejar numa batalha para a qual tanto nos preparámos.
mas mais oportunidades virão.
e a força vê-se quando nos levantamos após a queda - ou a falta dela, no caso!
força nessa recuperação e cuidado com esses vasos, se for preciso é dar um nó para não sangrarem .. ;)
abraço
AB - Tartaruga

luis mota disse...

Olá Joaquim!
Por vezes acontecem situações destas, mas a integridade física está primeiro.
Agora o importante é recuperar e voltar à normalidade.
Boa recuperação,
Luís Mota

Carlos disse...

Olá Joaquim,
Custa muito ter de largar um desafio tão apetitoso mas pode também ter sido um sinal de que não era a altura certa para aceitá-lo. Se Deus quiser, para o ano estaremos todos lá e tu, especialmente, terás um sabor muito mais apurado ao deliciares-te com a tua chegada. Até lá, outros virão.
Põe-te é em condições ó Pára.
Um abração

Carlos Coelho

Agüita disse...

Ola Joaquin, non teño o prazer de te coñecer, mais po-las tuas verbas e as tuas accions, parescesme unha grande persoa; e duro tomar a decision de abandoar tras longos meses de adestrar e pensar no dia elexido, mais coido que acertaches na tua decision, o 5 de xuño de 2011, lá estaremos na Geira, unha aperta dende Vigo e mellorate.
Ramiro Alvarez

Jorge Branco disse...

Grande campeão votos de rápidas melhoras.

Ricardo Baptista disse...

Olá Joaquim,
Foi uma decisão muito sensata ter parado logo ali. Para o ano há mais Geira.
Um abraço. Rápidas melhoras.

António Almeida disse...

Companheiro
apesar de tudo parabéns por nunca se ter dado por vencido e ter partido, não dava Joaquim.
Como direi já de seguida ao Mário caso façam gosto quero voltar a fazer a Geira na vossa companhia.
Rápidas melhoras e forte abraço das meninas e do seu amigo corredor.

Anónimo disse...

Os azares fazem parte da vida, mas espero que recupere rapido e bem, e verá na na proxima vez poderá disfrutar a prova muito mais intensamente.

Gostava que me enviasse a foto que me tirou na corrida da geira, e agradecer-lhe desde já.

o meu mail é o seguinte albinodaniel_83@hotmail.com

eu sou o albino magalhaes atleta da confraria e vencedor da corrida da geira.

Com os melhores cumprimentos
Albino Daniel

V. Ferreira disse...

Olá amigo Joaquim.
Rápidas melhoras para que possamos reencontrar-nos nos agradáveis trilhos portugueses.
Obrigado pelo refresco que me proporcionou ao km 50.
Soube mesmo bem e deu força para a parte final. Obrigado.
Boa recuperação.
V.Ferreira - Dorsal 128

Fábio Pio Dias disse...

Olá amigo Joaquim,

Não foi desta que fez esta prova, mas sua determinação e persistência,fará com que consiga ultrapassar esta etapa e no próximo ano concluir com êxito esta Ultra que não está ao alcance de Todos e só a coragem que demonstrou em fazer esta competição herculéana já faz de si um vitorioso.


As melhoras e uma rápida recuperação para o poder ver pessoalmente Entre a Serra e o Mar.

Abraço!

Susana disse...

Olá Pai, importa é que agora já estás bem, espero que continues assim! Geiras há-de haver muitas, mas tu és único!
Fizémos uma boa equipa nos abastecimentos!
Beijinhos pra ti

José Xavier disse...

Grande Joaquim Adelino;

Existem dias que ficam na nossa memória pela negativa. Mas o coprpo humano é mesmo assim e por vezes prega-nos estas surpresas.

Este "acidente" foi um momento, e pelo gosto que demonstrou em estar ali com todos os companheiros, e ser importante em momentos de ajuda, valeu por isso.

Em breve verá que tudo passou. Boa recuperação e no próximo ano há nova Geira com certeza!

Um abraço dos Xavier's

joaquim adelino disse...

Obrigado a todos pelo apoio e carinho aqui expresso,

voltaremos lá António não tenha dúvidas,

tal como diz o amigo espanhol Aguita a 5 de Junho(?) aquilo é mesmo para fazer.

Ao Vitor Ferreira digo-lhe que não tem nada que me agradecer, foi um prazer enorme estar ali voluntáriamente com a minha filha Susana, (tinha acabado de fazer os 15kms e também tem um coração enorme), numa fase bem difícil da vossa prova, imaginei-me no vosso lugar e assim atenuei a frustação que sentia por não ter conseguido acompanhar-vos desde Lóbios.

Um abraço a todos.

João Paulo Meixedo disse...

A parte boa da coisa é ter havido discernimento para não partir. Há mais marés que marinheiros.
Um grande abraço.

Leonel Neves disse...

São as vicissitudes da vida! Não vão faltar ocasiões para extrair o osso que ficou atravessado.
Felizmente não foi nada grave. Acontece ao mais pintado.
Um abraço

Vitor Veloso disse...

Amigo Joaquim,
quando soube que ficou pela partida fiquei desolado, mas bastante surpreendido ao mesmo tempo muito contente de o ver e a Susana lá no cimo da serra apoiar e ajudar os companheiro, que dupla espectacular.
Pego nas palavras do Mário e do Antonio, para o ano estamos de novo na Geira, para juntos palmilharmos aqueles montes.
Rápidas melhoras
Grande abraço

Duarte Gregório disse...

Boas,
Acontece aos melhores mas é uma grande virtude saber parar
melhoras.
abraço
b.f.semana