segunda-feira, 31 de maio de 2010

13 Kms do Guincho, Prova de Montanha.


Os 13 kms do Guincho ficou assinalada como a 2ª prova do Circuito de Montanha que fiz, a 1ª foi na Edição anterior nos trilhos de Monsanto em Lisboa, como se vê sempre bem perto da porta.
Não se poderá dizer que uma prova de montanha tenha que ser necessáriamente sempre a subir, esta pelo menos não o foi, excepção feita entre o km 9 e 10 onde encontrámos um verdadeiro muro e que imagino, nem os primeiros classificados o conseguiram ultrapassar a correr. Esta prova bem podia estar no circuito das provas consideradas de Trail dada a diversidade de caminhos, ou a falta deles, que tivemos de enfrentar. Em contra ponto diria que a Serra de Sicó, essa sim, bem poderia ser apelidada de prova de média montanha dado o constante sobe e desce por veredas, estradões e alguns trilhos em nada fica atrás em termos de dificuldade e beleza das paisagens.
Os 13 kms do Guincho, tal como as que se seguem, são encaradas por mim como preparação e adaptação à grande Serra da Freita que vem aí dia 27 de Junho próximo e por isso aproveitei para meter um pouco mais de ritmo onde o percurso o permitiria.
Foi assim que aconteceu logo desde a partida, pois até à Praia do Guincho o percurso era quase tudo a descer e em alguns casos um pouco técnico, no areal, onde chegamos por volta dos 5kms a progressão foi penosa e aí andei um pouco porque a correr o ritmo era praticamente o mesmo, mal chegámos à arriba já foi possível correr outra vez, embora em terreno muito irregular e em permanente zigue-zague. Foi aqui que duas vezes torci o pé, 1º o esquerdo sem qualquer consequência, logo pouco depois foi a vez do pé direito, aqui ia-me espalhando e a custo consegui evitar ir ao chão, apesar da dor que ficou no tornozelo, que não era muito intensa, consegui prosseguir a correr numa zona ainda acessível ainda que ligeiramente a subir e já virada à montanha. Quando lá chegámos +- ao km9 estava um abastecimento muito oportuno que nos ajudou a recuperar algumas forças e aproveitei para tomar um gel e prossegui, mas era impossível correr ali, caminhei sempre com as mãos em cima dos joelhos tentando desta forma auxiliar os membros inferiores até chegar ao alto daquela encosta, o que foi conseguido com grandes dificuldades, ainda pensei que iríamos subir até ao alto da Serra mas não, ficámo-nos pelo meio e fiquei com pena de não ir até lá ao cimo. A partir dos 10 kms começou a descida por entre a mata num cenário muito bonito e verdejante onde não faltou sequer a existência de um Ribeiro com água pura e que aproveitei para me refrescar, desci numa passada muito larga mas a dor no pé incomodava e tinha de ter cuidado pois o caminho existente era em terra batida e com muitos buracos e pedra solta. O último km já foi feito na aldeia em piso de pedra e quase sempre a descer tenho terminado com o ritmo abaixo dos 4m.
Desta vez, ao contrário da Semana anterior, consegui correr e o Mário Lima conseguiu andar, ou caminhar que vai dar ao mesmo, activando esta dupla aquilo que tinha sido interrompido na Geira e esperamos não ter de repetir durante muito tempo.
Encontrei ali muitos amigos da estrada e da montanha, alguns destes a levarem muito a sério a preparação e a adaptação à Ultra Trail da Serra da Freita e aproveitaram esta "pequena" etapa para um pequeno treino.
Para os "13 kms do Guincho" (12,120Kms no meu Garmin) fiz o tempo de 1,23,34h. tendo sido o 7º + de 60 anos.
Segue-se no mesmo sentido e no próximo Domingo estarei na Ota perto de Alenquer, (Terra do grande amigo Imigrante José Xavier), na Corrida do Mirante, curiosamente a escassos 5 kms também da aldeia que me viu nascer.
Fotos cedidas pelo amigo Fábio

10 comentários:

Jorge Branco disse...

Grande prova campeão!
A minha correu dentro da normalidade, mais rápida que o ano passado, e ligeiramente mais lenta que há dois anos!
Espero que o pé já esteja recuperado! Aquela parte da Arriba também não me “entendo” com o piso! Prefiro correr em cima de xisto, seixos, ou outro qualquer tipo de pedra que ali. A tendência é sempre para me “espalhar” ao comprido mais ainda não aconteceu.
Uma boa prova como preparação para a Freita devem ser os 3 Cântaros.
Um abraço.

José Xavier disse...

Caro Joaquim Adelino;

Apesar da torcidela do pé, vejo que continua bem entusiasmado a desfrutar de belos e saudáveis locais. O contacto com a natureza "o mato", é algo que também gosto.

Boa prova no próximo fim de semana na serra de Ota, que é bem complicada. Concelho de Alenquer foi meu lugar de nascimento,e onde tenho muita família, Torres Vedras onde passei toda a minha juventude, e claro depois Holanda até agora.

Um abraço amigo dos Xavier's

Otília disse...

Olá Adelino
Parabéns pela sua prova. O ano passado fiz o mesmo tempo que o Adelino fez. Este ano infelizmente já não fui a tempo de me inscrever, com muita pena minha pois para mim é das provas curtas a mais bonita que eu já fiz! Também não vou á OTA porque temos um almoço de amigos. Mas vou fazer esta 5ª feira um treininho longo de 30 kms na zona de Torres Novas.
O meu Coração e a minha Mente uniram-se e resolveram dar cabo do meu fraco corpo!
Já estou inscrita na Freita.
Um abraço e até breve.
Otília

JOSÉ LOPES disse...

Parabéns

Vejo que já passou o mal estar da anterior prova(geira).

Mais uma participação com um bom desempenho numa "aventura campestre" com boas paisagens.
Pena o pé torcido, mas com gelo isso vai lá depressa.
A dupla Pára-comando desta vez percorreu caminhos/distâncias diferentes, mas esteve lá.

Continue
Com os cumps
J.lopes

Susana disse...

Ah grande dupla! Gostei! Correr ou andar no meio da Serra de Sintra, é sem dúvida uma das coisas mais aprazíveis para uma manhã de Domingo!
Muitos Parabéns, beijinhos

luis mota disse...

Olá Adelino!
De volta à competição é um excelente sinal.
Semana após semana com duros desafios superados com êxito.
Gostei de ver o Mário na foto e saber que fez uma caminhada já é bom sinal.
Votos de uma boa prova na Ota.
Luís Mota

Anónimo disse...

Olá Joaquim
presumo que esteja recuperado do mal que o afligiu a semana passada, boa prova na Ota e boa preparação para a Freita, para mim o objectivo agora chama-se raid Melides-Tróia.
Abraço,
António

ana paula pinto disse...

Amigo Adelino

Há algum tempo que não me "refrescava" por aqui com os seus relatos, tão aliciantes quanto a paisagem que envolve estas últimas provas.
Desejo uma óptima corrida na Ota. Virei aos sítios do costume para saber como foi:-)
Beijinhos à Susan e ao Joaquim.

Ana Paula Pinto

ana paula pinto disse...

Voltei, porque percebi (lá no cantinho da Susan) que ontem foi um dia especial:-))

Parabéns e votos de felicidade.

E menino Joaquim, se quer contar mais 37 veja lá se começa a não se esquecer das datas!! É que as mulheres dão importância a estas coisas!:-))

Vitor Veloso disse...

Olá Joaquim,
Parabéns pela prova.
Bem que vejo que o percalço da Geira já esta ultrapassado, que bom velo de regresso a competições.
Boa prova na Ota continuação de boa preparação para Freita, eu vou ate ao Oriente.
A dupla esta bem "viva" espero que continue por muito tempo.
Grande abraço
Vitor Veloso