segunda-feira, 19 de abril de 2010

Corrida do Metropolitano de Lisboa.


Esta prova do Metropolitano de Lisboa não fazia parte da minha agenda de provas e só à ultima hora (no Sábado) é que consegui arranjar uma vaga por infurtúnio de um atleta amigo. Contei depois com a boa vontade dos amigos da Xistarca que logo regularizaram a inscrição para o meu nome e escalão.
Mas as viagens para as provas têm andado um pouco cinzentas, no Domingo anterior estragaram-me o carro, ontem na 2ª Circular junto ao Quartel Ralis, passámos por um acidente dramático com uma vítima mortal, alguns de nós ficaram um pouco impressionados e para quem vai divertir-se não é nada agradável assistir áquilo.
Este início de história sobre a prova do Metro não começa bem e ainda não acabou, tinha acabado de passar no Arieiro e quando já descia rumo à Alameda surge, não sei de onde, à minha frente um automóvel desgorvernado em plena Avenida, atravessa-se e vai espetar-se contra uma das árvores que está plantada no separador central da Avenida, por pouco eu e mais alguns que ali íamos a correr não fomos apanhados, o próprio polícia que ali estava a regular o trânsito por pouco não foi apanhado também, alguém logo ali alvitrou que o homem estava perdido de bêbado, segui o meu caminho e o sugeito ficou com o carro estragado e entregue à polícia, a sorte ali protegeu-nos.
Foi um regresso mais a sério à estrada depois de andar nos últimos tempos pelos campos e serras de alguns locais lindíssimos do nosso país.
Não foi fácil e quem anda por trilhos e raides já sabe que não rende muito no asfalto, existe força mas isso é incompatível com um ritmo mais aceitável que pretendemos imprimir, a máquina, isto é, os pulmões não conseguem acompanhar aquilo que lhes é exigido, e eles é que têm razão.
Foi uma prova que fiz com bastante à vontade, sempre confortável mas com o pé no acelarador e atento à resposta que ia obtendo do meu pobre esqueleto. Aos 10kms passei com 51m e achei que ia demasiado depressa mas como ia a descer a Av.Almirante Reis deixei-me ir, um pouco antes já o Manuel Azevedo me tinha passado e andei ali um pouco ombro a ombro com o Carlos Coelho, até que numa pequena subida fui embora e ele ficou lá, foi pena porque até ao final fiz a prova "sozinho" e isolado.
Sei hoje que 5 credênciados atletas (2º grupo da frente) se enganaram no percurso, foi uma pena e é incrível como foi possível se terem enganado, mesmo em frente onde cortaram à direita estava a placa dos 12 kms, um pouco mais de atenção e teriam visto o caminho certo. Saúdo o seu comportamento no final não criando problemas à organização. Não fosse o grande respeito que tenho por eles recomendava-lhes que fizessem um pequeno estágio em provas de trailes ou raides para aprenderem alguma orientação. Não levem isto muito a sério.
Achei também estranho aquele dançar cruzado no retorno junto a Santa Apolónia, como foi possível aquilo acontecer? ir no corredor da esquerda e de repente termos de passar para a direita e após o retorno termos de novo voltar para o corredor da esquerda é de loucos. É que estavam ali elementos da organização e onde existia também um controle Chip e podiam muito bem ter deslindado e corrigido aquilo, mas não, iam-se divertindo a rir da sua própria incapacidade enquanto os atletas tiveram de fazer uma ginástica tremenda para não se atropelarem uns aos outros e ninguém sair magoado daquela triste situação.
Devido ás obras na zona do Terreiro do Paço foi penoso atravessar aquela zona no Campo das Cebolas na ida para Santa Apolónia, (é claro que a chuva também não ajudou), mas parece-me que a organização podia ter melhorado o percurso pois existiam ali alternativas, bastava irmos pelo percurso que fizemos no regresso.
De resto tudo impecável, há muitos anos que não fazia esta prova, ali encontrei mais uma vez muitos amigos e que por serem tantos os saúdo mais uma vez. As lembranças que me ofereceram no final dentro de uma mochila bem verdinha foram excelentes e também justificou um pouco a razão de termos no início dado quase uma volta ao Alvaláxia e conhecer um determinado túnel, que eu não conhecia, que pela sua extensão quase eleminava a eficácia do meu Garmin, mas lá conseguiu passar e registar tudo sem problemas.
Consegui fazer a prova em 1,17,41 (1,17,55 oficial) para os 15,260kms registados no meu Garmin a uma média de 5,05m por km.
Quem me dera nas serras trilhos e campos andar assim...
As longas distâncias acalmam até final de Abril, em Maio irão começar novamente de forma progressiva, 1º de Maio, Meia Maratona da Areia e depois a Geira Romana. vai ser um fartote.

13 comentários:

Susana disse...

Olá pai! Podes crer que está bastante bom o que fizeste pois o teu "pobre esqueleto" como tu dizes está muito rico em Kms e odisseias eheheh
Nunca calhou eu fazer essa prova, tenho de a fazer!
Beijinhos da filha

Carlos Lopes disse...

Parabéns Joaquim, brilhante prova

Otília disse...

Parabéns Joaquim!

Esse "Esqueleto" está numa forma fantástica quem me dera a mim correr agora 15 km e pouco nesse ritmo.
Eu continuo nos trails uns mais curtos que outros, quando não são as provas são os "free running" que estão agora na moda e que são muito apelativos. A única prova de estrada que talvez faça será a das Pontes em Coruche mas ainda não tenho a certeza. Certeza, certeza é a meia da AREIA!!!!!Essa é que me está a dar cabo da cabeça.
Até lá
Bons treinos e melhores provas
Otília

JOSÉ LOPES disse...

Parabéns Joaquim

Está em excelente forma.

Com tantos kms nas pernas fez um excelente tempo.

Continue
Com os cumps
J.Lopes

MPaiva disse...

Joaquim,

A sorte protege os audazes! Ainda bem que nada de mal aconteceu ao meu amigo em aqueles que presenciaram esses desagradáveis factos que relatou.
Quanto à prova, mais uma vez os meus parabéns pela força que mostra e pelo espírito desportista com que encara cada novo desafio. Um exemplo!

abraço
MPaiva

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Mas que prova mais acidentada Adelino! De certeza que muito pensou em como era bom correr no campo e na montanha.

Um beijinho

Ana Pereira

Duarte Gregório disse...

boas,
o amigo esta sempre em competiçao, tambem por ai a oferta é muita, ao contrario daki na ilha.
abraço

Nuno disse...

ola Joaquim, muitos parabens pela prestaçao na prova "acidental".

Boas corridas
Abr
Nuno R.

Anónimo disse...

O esqueleto a sofrer e eu....fartei-me de correr de costas o consegui ver, mas fica para a próxima?
Parabéns pela prova
Fernando S.

Mário Lima disse...

Olá Joaquim

Para já uma palavrinha ao MPaiva. «A Sorte Protege os Audazes» é o lema dos Comandos, dos Páras é: «Que nunca por vencidos se conheçam».

:)

Fora este aparte, que é em jeito de brincadeira, há quem leve a brincadeira a sério e é sempre bom alertar para isso, não há dúvida que tiveste um dia a começar mal e quase que na prova também ia acabar mal.

Não sei onde andam as cabeças de quem conduz (muitas vezes o acidente pode ser inevitável, por questões de piso escorregadio) mas uma vez num 1º de Maio houve um acidente mortal na Avª Brasil. O tipo pensava que não vinha ninguém acelerou e nesse momento estava a passar um atleta. Enfim!!!

O grupo da frente enganou-se mas o que importa é o fair-play demonstrado e assim é que deveria ser sempre.

Fizeste uma bela prova, e como o dizes outras mais estão aí ao virar da esquina.

Para ti Pára que não Pára vai aquele abraço.

Carlos disse...

Olá Joaquim,

Boa prova fizeste e não me apercebi do acidente. Vinha a 200 metros atrás e não tive pernas para te acompanhar. Paris deixou mossa :)). Realmente na casa dos bicos bem nos tinham dado jeito as sapatilhas de trail verdade? Que saudades. Mas vais matá-las na Geira, lá isso vais.Para o ano conto lá estar. Vemo-nos no 1º de Maio. Podias ir à do 25 Abril.
abraço pára
Carlos Coelho

luis mota disse...

Olá Joaquim!
Este Pára está em todas. Grande Joaquim!
Essa prova, foi a primeira que tentei participar na capital. Inscrevi-me e posteriormente não me aceitaram a inscrição por ter excedido o limite de participantes. Vindo da província, nunca tendo corrido em Lisboa, fiquei de tal forma frustrado que é a única prova de corrida que perdi todo o interesse nas crónicas, fotos, classificações e em participar. Que me desculpem os companheiros da corrida.
Felizmente que Lisboa tem muitas e excelentes provas e em todas tenho um prazer imenso em participar.
Uma boa semana para si,
Luís Mota

Vitor Veloso disse...

Olá Joaquim,
Esse seu esqueleto esta em grande forma, quem me dera a mim ao chegar a "bonita" idade que tem, estar a fazer tantos quilómetros como tem feito, os meus parabéns.
Eu bem que queria ter participado nessa prova, mas já não fui a tempo para me inscrever, tive que recorrer há Corrida do Benfica.
Grande abraço
Vítor Veloso