segunda-feira, 22 de março de 2010

Meia Maratona de Lisboa, mais um sucesso.


Estar 1,15h. em sentido a aguardar pelo tiro de partida a uma distância aproximada de 150 metros foi de facto mais difícil do que percorrer aqueles 21,095kms da Meia Maratone de Lisboa. Valeu que tive por ali a rapaziada amiga por perto, a começar pelo meu filho Hugo e outros que costumam efectuar os treinos diários comigo.
O Fernando Andrade estava por ali também com quem estive à cavaqueira durante grande parte do tempo, o Luís Mota e a Susan também lai estavam, embora um pouco mais à distância, o Manuel Azevedo, O Luís Miguel (Tigre) e tantos outros. Bem víamos ali mesmo à nossa frente os "Vips" num vai vem constante no aquecimento e a prepararem-se para a partida e nós ali emprancheirados, à míngua por um pequeno espaço onde podessemos ás vezes mudar o pé sem termos o receio de depois de o levantar quando o voltássemos a colocar já lá estivesse outro a ocupar o lugar. Foi uma eternidade, mas todos sabíamos que isso ia acontecer ou então cada um optava por sair comodamente da traseira do pelotão e deixa-se ir, dicidi assim e tive que aguentar.
Quando foi dada a partida estávamos aí a 100 metros do pórtico da largada, e os primeiros metros foram dolorosos, para mim aquilo não foi correr foi saltitar, pois tinha os músculos completamente presos, mas fui obrigado a correr porque estava na frente ou então era "esmagado" por aquela avanche de gente que vinha logo atrás.
Mesmo assim não perdi tempo nas ultrapassagens a alguns "Vips" que saíram lá da frente (alguns já a andar) e fui indo confortavelmente no meu ritmo que entendi melhor para os meus objectivos. Aos 2,5kms quando ia por cima da 24 de Julho já o grupo da frente que tinha saído de Algés ia a chegar ao Viaduto de Alcãntara, um pouco mais à frente olho para baixo e já vejo o meu filho Hugo já perto do final da descida em Alcantara. Perto dos 5,5kms passa já em sentido contrário o Tadesse, já vinha a chegar perto do km 12, sózinho e via-se pelo ritmo que levava que estava disposto a estolhaçar o Recorde do Mundo, mas eu naquela altura só pensava em manter um ritmo confortável que me permitisse pouco desgaste pois estou numa fase de muitas provas e a maioria delas é composta por muitos kms.
Aproveitei todos os abastecimentos que me foram aparecendo, o dia estava muito bonito e com bastante calor, a humidade era bastante elevada e eu derretia com tanto suor, os óculos embaciavam com tanta humidade, foi uma má opção tê-los levado e ainda por cima esquecime-me de levar a fita que ajudaria a impedir a concentração do suor ali junto aos olhos. Mas não havia nada a fazer e ia seguindo, aos 15kms já ia com 1,22h. e vi no lado contrário o Hugo a entrar para os metros finais, ia com cara de grande esforço, pois ultimamente tem tido alguns problemas físicos que o têm impedido de treinar com mais afinco, mas vi logo que ia fazer uma boa marca e parece-me que bateu o seu recorde pessoal, eu ainda tinha de fazer mais 6 kms para terminar e neste vai vem ainda tive oportunidade de me cruzar com muita rapaziada amiga que já vinha para a meta, vejo António Henriques, do meu Clube, quase a passo, ia desfalecendo um pouco mais atrás, e que bem que ele vinha, vejo o Nuno Sebastião a andar, ainda lhe dei um incentivo mas nem deve ter ouvido, ia certamente muito frustrado e envolto nos seus pensamentos e outros que reciprocamente íamos saudando e incentivando. Por volta dos 17kms sou ultrapassado pelo nosso Míster, ele ainda me convida para ir com ele, mas achei mais sensato ficar no meu passo que continuava a ser muito bom e confortável, perto dos 19 kms sou apanhado pela mancha vermelha da Mission Possible, do futuro viajante do Espaço, Sr Ferreira, aproveito e colo-me na sua rectaguarda, necessariamente tive de aumentar o ritmo naqueles 2 kms finais mas como ia bem acabei por terminar dentro do objecto que tinha pensado, isto é sem cansaço e sem sofrimento, a marca era pouco relevante, mesmo assim ainda fiz 1,58,38 (não oficial) para os 21,260kms (não oficial) que o meu garmin registou.
Uma chamada de atenção apenas, aquela confusão final depois da chegada, primeiro a imensa gente que permanece no local da devolução dos chips após a chegada e depois a dificuldade em sair do local após receber o prémio final. Penso que aquilo pode ser melhorado, ontem devido ao calor a pressão foi ainda maior e torna-se perigoso manter as coisas assim.
Foi um previlégio estar numa corrida onde foram batidos 2 recordes do Mundo.
Penso que sucedemos ao previlégio que o nosso amigo José Xaviar já havia presenciado em Haia na Holanda em 2007.
Terminada mais esta missão a seguinte está já aí, os Trilhos do Pastor são já no próximo fim de Semana na distância de 30 kms. Vamos a ver como decorre a recuperação até lá.

17 comentários:

Mário Lima disse...

OLá Joaquim

E chegamos os dois naquela imensa malta de vermelho do Mário Ferreira e eu nem te vi.

:)

Eu ainda pensava que era uma mancha vermelha de apoio ao nosso Benfica, mas não.

Fiquei satisfeito pelo refrão da canção que falava num Mário e eu como não conhecia o Ferreira fiz dele Lima e assim na parte final tomei a dianteira do grupo e cortei a meta inchado que nem um perú, depois dei o perú ao Nuno Espírito Santo lá nos Allgarves

:)

A seguir a Rosa Mota veio ter comigo e perguntou: «O Mário já chegou» e eu ali à frente dela. Realmente ó Rosa!!!

:))))

Depois cumprimentei o verdadeiro Mário Ferreira e fui-me embora para aquela mancha de malta à saída, que como tu o dizes, não tem condições, mas apostas que para o ano estará na mesma???

Um abraço Pára e boa prova para os Trilhos do Pastor.

António Almeida disse...

Olá Joaquim
pois ali por volta do Terreiro do Paço ainda lhe lançamos um incentivo mas nem sei se o ouviu, valeu a intenção.
Eu quebrei a tradição que vinha seguindo e estive presente 2 anos seguidos.
Uma boa semana e até domingo.
Abraço.

Mário Lima disse...

Sabes Pára?

Ganhei-te por... 8 segundos!!!

E esta heim!?

Nem sabia que ali estavas mas algo me dizia para me pôr à cabeça do pelotão!!!


:)))))))))))))

Abraço!

Vitor Veloso disse...

Olá Joaquim,
Foi uma boa moldura humana, sempre em grande numero, por vezes temos que nos encostar bem na frente.
No terreiro do paço eu e o António bem que gritamos por si para lhe dar algum incentivo, mas ia tão concentrado só teve tempo de esticar a mão.
Esteve muito bem os meus parabéns, já tem muitos quilómetros nas pernas em tão pouco tempo.
Boa prova nos Trilhos do Pastor.
Boa semanal
Vitor Veloso

Anónimo disse...

olá Joaquim
parabéns por mais uma feita.
agora meu Amigo força nesses trilhos do pastor.
não poderei estar, com muita pena, o ano passado foi a minha estreia em trilhos e adorei, de tal maneira que o bicho ficou!
que tudo corra bem, boa recuperação, bons treinos, um abraço
ab - tartaruga

Susana disse...

Oláaaaa! Eu bem tentei avistar-te na televisão, mas não consegui, lá vi o Póvoa e mais alguns colegas nossos!
Muito bem!
Ritmo confortável, sem esforço, é assim que se sente maior prazer na corrida, sem dúvida!
Os PARABÈNS ao meu irmão HUGO pelo excelente resultado!
E a maratona Carlos Lopes lá foi cancelada! Ainda não é desta que me estreio na Maratona!
Beijinhos

Carlos disse...

Olá Joaquim,

Boa prova contando que estava uma humidade enorme. Não o vi nem ao Mário. Vi o António e o Vitor, e o Carlos Fonseca. Foi um bocado desgastante mas com tanto kms feitos há que guardar energias para a nova paixão: os trilhos, não é? Até domingo
Carlos Coelho

Carlos Lopes disse...

Olá Joquim

Desta vez não o encontrei... parabéns pela sua participação

NS disse...

Pois que desta vez eu até levava óculos...mas naquela altura estava sem ouvidos :-)

Abraço,
NS

Hugo Adelino disse...

Olá pai!
Parabéns, pela prova e pela vivacidade com que enfrentas os teus desafios.
Agora é tempo de recuperar porque novas "batalhas" te esperam.
Beijinhos.

luis mota disse...

Olá Joaquim!
Impressionante o número de quilómetros em competição e já a pensar em mais 30 aqui perto da minha casa. Não, não vou lá!
Ainda o vi com o numeroso grupo da missão possível.
Bom desempenho o vosso. Parabéns a si e ao Hugo.
Grande semana,
Luís mota

Nuno disse...

Ola Joaquim,
Parabens pelo desempenho e força para o proximo.
Abraço
Nuno

José Xavier disse...

Caro Joaquim;

Pois o record do mundo passou a estar em Lisboa. Para mim fico feliz, pois passou da cidade onde vivo para a cidade que mais gosto no mundo.

Sobre questões de organizacão das provas, conforme já tenho dito, as organizacões portuguesas bem podem aprender com as coisas que se fazem por esse mundo fora.

Colocar todos no mesmo local de partida. Misturar quem vai passear na ponte com quem vai fazer uma prova de atletismo, não deve ser muito agradável.
Este ano em Haia, e conforme é da praxe, vou para o meu local de partida 15 minutos antes!!!, e tudo corre bem.

Sobre a sua prova, vejo que continua em boa forma e com muito entusiasmo e o prazer de conviver com os amigo.

Um abraco amigo dos xavier's

Duarte Gregório disse...

Amigo Joaquim,
não era tarefa fácil, apesar de nos termos cruzado junto à praça do comércio, antes do retorno, onde tive a oportunidade de chama-lo, não foi desta que nos encontramos para dois dedos de conversa.
Quem sabe numa proxima

MPaiva disse...

Joaquim,

Muitos parabéns por mais uma prova que foi feita ao melhor estilo do verdadeiro atleta de pelotão: em ritmo confortável, desfrutando plenamente do prazer da corrida e em permanente solidariedade com os colegas e amigos!

abraço
MPaiva

Duarte Gregório disse...

Amigo Joaquim
Uma das vantagens de não ser rápido, é dar tempo a ver e a ser visto e, entre milhares voçe foi a única pessoa que reconheci, o que também não era muito difícil, pk no seu caso, de camisa e boné amarelo a meio do preto e vermelho dos restantes, ainda mais fácil ficou, hi hi hi
abraço

Anónimo disse...

Amigo Adelino
desejo-vos uma excelente proa nos trilhos do pastor. foi a minha estreia no ano passado e gostei tanto que quase não tenho feito senão trilhos.
a prova é de uma beleza enorme. desfrutem, divirtam-se e que tudo corra bem.
um abraço
ab - tartaruga