terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Sacavém, com o pensamento em Sevilha.

Este Domingo, dia 10 de Janeiro quando saí de casa ás 07,30h estava mais preocupado com a invernia instalada do que com o treino que ia fazer de 1,45h. a partir das 08h e logo de seguida a Corrida da Cooperativa de Sacavém que teria início ás 10,30h.
Sob os viadutos do IC2 junto ao Rio Trancão pensei seriamente se deveria dar início ao treino que estava planeado, eram 08h e estava exitante porque o frio, o vento e a chuva eram de tal forma agrassivos que tive para desistir. À chuva liguei o GPS e enquanto não foi descoberto o competente Satélite ali me mantive pois nem debaixo das pontes me safava, foram 3m intermináveis e já todo encharcado e a tremer de frio pois o endumentária que tinha vestido nem era o mais apropriado para aquelas condições climatéricas, dei início ao treino. Cometi ainda a improdência de levar os óculos naquelas condições, pois passado pouco tempo já estava a precisar de um limpa pára-brisas, ainda assim teve alguma utilidade pois sem eles de pouco me serve levar o GPS como ajuda ao treino que ia realizar.
Com a agressevidade do mau tempo e a correr junto ao Rio Tejo a partir do Trancão depressa me refugiei pelo interior do Parque das Nações amenizando assim as dificuldades que ia sentindo.
No regresso ao ponto de partida depois de ter chegado ao Beato as coisas melhoraram bastante pois o vento já aparecia pelas costas mas lateralmente e assim consegui uma melhor prestação no regresso apesar de ainda estar muito frio e chuva.
No final contabilizei 16kms para um total de 1,44h.

Corrida de Aniversário da Cooperativa A Sacavenense

Mal terminei o treino, todo engadanhado, meti mãos à obra ali mesmo dentro carro (acho que este comportamente é comum a todos) e mudei toda a vestimenta e calçado a fim de me apresentar no local de partida (ainda a 2kms) devidamente apresentável, faltavam ainda 45m. Neste momento passam a Susana e o Daniel por ali e ainda lhes digo para levantarem o meu dorsal, pareceu-me que apesar de estarem dentro da viatura o frio que estava também os incomodava.
Na hora da partida a chuva fez uma pausa mas o frio era ainda muito intenso, a partida foi retardada e as dificuldades agravaram-se, veio a justificação, a estrada a 100m tinha muito óleo devido a um acidente e os bombeiros estavam a colocar lá pó branco para evitar possíveis problemas devido a quedas, atitude louvável que agradecemos apesar do frio sentido.
Miguel Quaresma, vencedor da prova
Devido ao treino estava bastante desgastado e com dores na coxa esquerda, ainda assim "encostei-me" enquanto pude ao nosso míster Fernando seguindo com ele desde o início e até ao final da prova, não sem antes em alguns traços do percurso com maiores dificuldades ele avançar e depois simpaticamente voltar para trás e rebocar-me até à dificuldade seguinte.
Terminámos os 5.790 metros em 30,30m.
Gostei do novo traçado da prova, não sabia que conseguiriam arranjar um percurso de pelo 3kms, quase planos, dentro de Sacavém num total de quase 6kms. É um bonito traçado, descobri uma parte de Sacavém que ainda não conhecia e depois gostei também de fazer todo o percurso da prova, pois em edições anteriores devido à minha "Idade" só me deixavam correr 2.800m, um desperdício.
Lamentável a falta de água no final, fui o último a receber uma garrafa, todos os outros que vinham atrás e provavelmente eram aqueles que mais precisavam ficaram atónicos com a falta daquele precioso líquido, uma situação lamentável e sem justificação.
Incompreensível também o critério de atribuição de t-shits, eu já não cheguei a tempo de receber uma, desconheço se o regulamento era restritivo, agora o que não pode acontecer é que depois de acabar a prova apareceu por lá (ainda no final do funil) uma caixa de t-shirts (todas XXL !!!) que foi destribuída a granel gerando-se ali grande confusão. A Sra. que estava lá, voluntariamente, a fazer aquele serviço a dada altura "passou-se" e gritava por tudo e por nada, não dignificando a Instituição que ali representava, quando devia era calmamente enfrentar a situação e não contribuir para o azedume que se verificou. De certeza que ela aprendeu alguma coisa e no futuro trate as pessoas com mais dignidade, eu espero que assim aconteça ou então não deverá ser colocada num lugar tão sensível como aquele onde os atletas que chegam precisam é de carinho e não de agressividade.
À parte a falta de água (grave) a organização esteve excelente, nem a morosidade da destribuição dos prémios e a exiguidade do espaço diminui a sua eficácia, percurso excelente, segurança dos atletas em todo o percurso, com um local de partidas e chegadas excelente.
Fiquei também muito sensibilizado e comovido com a Homenagem que a Cooperativa a Sacavenense concedeu ao nosso querido amigo Armando Aldegalega no final da Cerimónia.
A este assunto voltarei em breve.

5 comentários:

Vitor Veloso disse...

Olá Joaquim,
Apesar do tempo foi um excelente treino já a pensar em Sevilha. Tudo lhe corra pelo melhor, continuação de bons treinos.
Grande abraço
Vítor Veloso

Mário Lima disse...

Adelino

Quando encontrei a Susana em Sacavém e ela disse-me que já andavas a correr há perto de duas horas na zona da Expo, com o temporal que estava, só pensei: «Este Pára é louco».

:)))))))))

Sobre a prova, para além do que escreveste no tema anterior sobre o Regulamento actual que faz desaparecer o Torneio dedicado aos jovens, e faz tudo para que desapareça de vez a Corridas das Colectividades, quando falei disso ao Lourenço e a possibilidade de assim acabar todos as equipas que ano a ano fazem este torneio, ele disse-me, pode acabar o Torneio mas o CCD de Loures há-de continuar, há mais provas por aí.

É sempre bom ouvir isto do responsável da nossa secção.

Sobre a senhora está tudo dito, admirei-me da paciência do Pedro a chamar-lhe a atenção (nas calmas) para a atitude agressiva da dita, mas não valeu de nada. Mas na hora da partida não se esqueceu de colocar algumas no braço dela, talvez o XXL lhe sirva na perfeição.

Fizeste um bom treino, agressivo, mas para um pára que não para tudo isso são trocos e uma boa prova, pensando que já tinhas quase duas horas de treino nas pernas.

A homenagem ao Armando é justa, pois continua a ser uma referência do atletismo nacional e agora popular, e enquanto o Pára&Comando não entrar em competição conjunta nas margens do Zêzere, vou tentar colocar mais km nos sapatos mas o tempo e os turnos não estão muito meus amigos!

:)

Abraços!

Anónimo disse...

Olá Joaquim
em Sevilha terá o retorno dessa dedicação e força de vontade.
De louvar a homenagem que foi prestada ao Armando Aldegalega.
Grande abraço,
António Almeida

Pedro Ferreira disse...

Numa manhã daquelas só mesmo o Joaquim Adelino conseguiria fazer 1treino e uma prova! Parabéns!
O outro assunto: não havia no regulamento qualquer limitação para a entrega de t-shirts. Mas pior que as camisolas foram as águas, porque ainda havia umas poucas e a senhora disse que não havia mais. Quando ela fugiu (literalmente) fui à caixa buscar as que restavam e distribuí a quem precisava, mas foi uma falha desnecessária...

BritoRunner disse...

OLá Adelino

Foi uma manhã dura...

Nós por aqui também apanhamos muito frio, foram 26km em 2h30, com chuva e uns flocos de neve à mistura.

Já falta pouco para Sevilha, vamos ver se o tempo lá não nos prega uma partida.