segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Mendiga, o saudável regresso


Voltei à Mendiga, para repetir quase tudo o que se passou lá há precisamente um ano. Desta vez não existiu enganos no caminho, apesar de tanta curva fomos direitinhos até lá.
Quando falamos de rotinas pode parecer aborrecido e pachorrento e ainda pior quando falamos em deslocações para participar em corridas, e foi isto que se passou em Mendiga, uma cópia de uma história já contada o ano passado quando por lá passei. Essa história falava de uma excelente jornada desportiva que ali passei, na recepcção aos atletas, nos amigos que encontrei, na corrida e no almoço de confraternização, confecionado pela organização, onde não faltou a música de um grupo simpático de acordionistas que nos brindou com várias e bonitas músicas.
Pois bem, estas são as rotinas pelas quais nunca me fartarei, tudo impecável por parte da organização desta prova de estrada onde em termos de logística nada nos faltou, 2 abastecimentos, informação de tempos de passagem, trânsito totalmente cortado e máxima segurança para os atletas.
Um reparo que já é "velho", tem a ver com a falta de pressão da água que deveria servir para todos tomarem o seu banho e irem o mais higiénico possível para a mesa e para o merecido almoço. Parecia que estávamos no "Muro das Lamentações" virados para a parede e de cabeça encostada a tentar apanhar algumas gotas que iam caíndo. Estou certo que existirá por ali algum problema de abastecimento e que a organização não deixará de ter em atenção na próxima edição.
Tão igualzinho que até o meu cronómetro marcou o mesmo tempo de há um ano, e eu também envelheci na mesma proporção, encontrei os mesmos amigos, o Luís Mota lá estava acompanhado da Mariana, o Ultra-Maratonista Esmeraldo Pereira, e muitos outros amigos que não perdem esta prova.
Tive ainda oportunidade de conversar um pouco mais durante o almoço (onde deveria ser?) com o Luís Parro... de quem tinha recebido um chega para lá quando me apanhou já perto dos 13kms, foi de uma simpatia... até já. Vingou-se de Melides/Tróia.
Durante toda a prova tive a companhia inseparável do Daniel e do Mário Lima, só assim consegui fazer os 16,600 kms à média de 5m o km. Confesso que não esperava, este ritmo é demasiado para mim nesta altura e não se pode dizer que a prova seja fácil, sobe e bem, quer para um lado quer para o outro mas para ajudar tínhamos as bonitas paisagens ali mesmo ao lado da Serra dos Candeeiros, embora a mim pouco serviram porque nestas coisas quando damos o litro nada nos distrai para ajudar a minimizar as nossas fraquezas.
Não me importo de voltar para o ano e repetir tudo de novo e desde que continue a ser servido
aquele espectacular prato de bacalhau assado com batata a murro, então a motivação será muito maior. Recomendo a todos.
video
Dia 28/11 segue-se uma caminhada na Serra de Sintra, mais precisamente com partida na Malveira da Serra, vai servir de pretexto para no final me atirar a um Cosido à Portuguesa, num restaurante da especialidade sem rival ali mesmo ao lado.
Depois, bem, está logo ali a Maratona de Lisboa!!!

8 comentários:

Susana disse...

Ola pai!
Mas que belo dia!
Correr...Comer...Conviver...ao som da música popular!
A essa prova nunca calhou eu ir, mas com certeza assim que tiver oportunidade, não falharei.
Grande pontaria no kronómetro!
É preciso é não exceder, mas confio no teu bom senso!
A caminhada da Malveira está a criar-me uma boa expectativa.
Beijinhos meus

Carlos Lopes disse...

Ola Joaquim, deixar um abraço e boa semana

Mário Lima disse...

Olá Joaquim

Essa do "Muro das Lamentações" (bem observado) diz bem da dificuldade que tivemos para conseguir um pouco de água de forma a retirar a espuma do corpo.

Estive a ler o teu tema do ano passado e por pouco o tempo oficial não foi o mesmo, o que demonstra bem a "pedalada" certinha com que andas, fruto de muitos anos a "virar frangos".

:)

Com o Daniel a dar o mote, lá fomos conseguindo fazer os km a bom ritmo, e assim se fez uma boa prova e com aquele convívio vale sempre a pena ir até Mendiga.

Então boa caminhada ó pára que não pára, e até à Maratona.

Vai um ginjinha?

:)))))))))))))))

Abraço!

António Almeida disse...

Companheiro
mais uma bela jornada a caminho da Maratona de Lisboa, eu fiquei-me por um longo perto de casa.
Boa semana e bons treinos.
Abraço.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Há rotinas que é muito bom sinal existirem. Tomara eu... mas lá chegarei.

Um beijinho e fiquei com pena de ter perdido esse bacalhau (que adoro), para além da corrida, claro.

Até breve certamente

Ana Pereira

luis mota disse...

Olá Joaquim!
Foi um belo domingo na Mendiga.
Gosto da prova e de correr nesta bonita região.
Foi muito bom estar na vossa companhia.
Agora é preparar a Maratona de Lisboa.
Grande abraço,
Luís Mota

Vitor Veloso disse...

Olá Joaquim!!
Há pois, deve ter sido um belo dia de domingo, tanto na prova, como na mesa, bacalhau assado com batatas a murro, que bom. Ate apetece! Assim pró ano estou presente!
Boa semana
Abraço

Luis Parro disse...

Bom Dia Amigo Joaquim Adelino,
Bela prova e bela reportagem.
Foi um prazer conhecer pessoalmente. Até á MARATONA...!!!
Luis Parro